Odebrecht entra com pedido de recuperação judicial

Reestruturação pode chegar a R$ 90 bilhões; é o maior processo do tipo no país, superando o da telefônica Oi, de R$ 64 bilhões

DIVULGAÇÃO/ODEBRECHT

atualizado 17/06/2019 18:07

A Odebrecht entrou, na tarde desta segunda-feira (17/06/2019), com um pedido de recuperação judicial que pode atingir até R$ 90 bilhões. Com dívidas imediatas e execuções em curso, a empresa se viu sem alternativas para resolver seu problema de liquidez financeira. Como a lista de credores ainda está sendo definida, o calote deve ficar entre R$ 85 bilhões e R$ 90 bilhões. Será a maior recuperação judicial já realizada no país, superando a da empresa de telefonia Oi, que chegou a R$ 64 bilhões.

O grupo enfrenta grave crise financeira desde que virou pivô da Operação Lava Jato.

Na última semana, a Caixa, uma das credoras da empresa, iniciou processo de execução das dívidas da empresa. A execução corre em segredo de Justiça, como desdobramento da pressão que o banco público vem fazendo contra o grupo desde o pedido de recuperação judicial da Atvos, braço de açúcar e álcool da holding, no fim de maio.

A Atvos, que tem dívida de quase R$ 12 bilhões, foi a primeira companhia do grupo a recorrer à proteção da Justiça para renegociar seus débitos.

Até a semana passada, os grandes bancos brasileiros negociavam em conjunto uma recuperação extrajudicial do grupo Odebrecht. Caso a recuperação vá parar na Justiça, os bancos credores entrarão numa fila para receber os empréstimos, ao lado de funcionários, governo, fornecedores e outros. Além disso, o desconto sobre a dívida tende a ser bem maior. Por isso, a organização para a recuperação extrajudicial do grupo controlador, que garante empréstimos de cerca de R$ 20 bilhões de suas subsidiárias.

Últimas notícias