MPF pede condenação de Lula em ação penal que envolve instituto

Procuradores da Lava Jato querem ainda o pagamento de R$ 75 milhões, valor da porcentagem de propina supostamente paga pela Odebrecht

atualizado 04/10/2018 15:27

DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO CONTEÚDO

O Ministério Público Federal (MPF) pediu nesta quinta-feira (4/10) a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, seu advogado Roberto Teixeira, o ex-ministro Antonio Palocci, Marcelo Odebrecht e outras quatro pessoas na ação penal envolvendo o Instituto Lula e um apartamento em São Bernardo do Campo. A informação é da Mônica Bergamo, do jornal A Folha de S. Paulo.

“O MPF também pede que seja decretado o perdimento do apartamento 121, vizinho ao dúplex onde Lula mora em São Bernardo, e o pagamento de R$ 75 milhões – valor correspondente ao total da porcentagem da propina paga pelo Grupo Odebrecht, segundo as investigações”, diz trecho da manifestação.

Os procuradores da Operação Lava Jato também pedem “a determinação de regime fechado para o cumprimento inicial das penas para Lula, Antonio Palocci, Branislav Kontic, Marcelo Odebrecht, Paulo Ricardo Baqueiro de Melo, Demerval de Souza Gusmão Filho, Glauco da Costamarques e Roberto Reixeira”.

As alegações finais dedicam 86 páginas para “a atuação de Lula no exercício da Presidência da República”. Em um dos trechos, os procuradores afirmam que Lula “foi o principal responsável pelo esquema de macrocorrupção estabelecido na Administração Pública Federal, destacadamente a distribuição das Diretorias da Petrobrás, com vistas à arrecadação de propinas, em benefício do enriquecimento de agentes públicos, da perpetuação criminosa no poder e da compra de apoio político de agremiações a fim de garantir a fidelidade destas ao governo federal”.

Últimas notícias