Moro defende que Coaf permaneça no Ministério da Justiça

Declaração acontece depois de o presidente Jair Bolsonaro afirmar que não se opõe a devolver o conselho ao Ministério da Economia

José Cruz/Agência BrasilJosé Cruz/Agência Brasil

atualizado 26/04/2019 17:15

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio moro, defende que o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) permaneça dentro de sua pasta. No entanto, o ex-juiz da Lava Jato afirmou que a decisão dever ser tomada pelo Congresso Nacional. A informação é da Folha de S. Paulo.

A declaração de Moro seria uma resposta a um comentário feito pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), em um um café com a imprensa na quinta-feira (25/04/2019). Na ocasião, o presidente disse que não se opõe a devolver o órgão responsável pela fiscalização de operações suspeitas ao Ministério da Economia, pasta comandada por Paulo Guedes.

“Igualmente, eu também sou aberto a qualquer decisão que seja tomada no Congresso. O que não me impede de buscar convencer os parlamentares que o melhor lugar do Coaf é atualmente onde ele se encontra”, disse Moro.

Ele ainda chamou de “lenda urbana” a história de que ficar com o conselho em suas mãos teria sido uma das condições para aceitar o ministério.

De acordo com a reportagem, Moro completou dizendo que “tendo vindo, acha oportuno que ele fique”. E pontuou não haver como combater organizações criminosas hoje no país sem foco em lavagem de dinheiro e sem retirar dos criminosos os recursos que ajudam a manter as operações ilegais.​

Últimas notícias