Moro critica saída de Nardoni da prisão no Dia dos Pais: “Imoral”

Na postagem, o ministro disse que o juiz não pode ser julgado pela decisão e fez um apelo em apoio ao Projeto de Lei Anticrime

Raimundo Sampaio/Especial para o MetrópolesRaimundo Sampaio/Especial para o Metrópoles

atualizado 09/08/2019 14:25

O ministro da Justiça, Sergio Moro, criticou o benefício de saída temporária de Dia dos Pais concedido a Alexandre Nardoni, condenado pela morte da filha em 2008. No Twitter, o ex-magistrado alegou que “parricidas ou filicidas” deveriam continuar encarcerados na data e chamou a decisão de “imoral”. Para o titular da pasta de Segurança Pública, a medida diminui a confiança da população na Justiça.

Na postagem, Moro disse que o juiz não pode ser julgado pela decisão e fez um apelo em apoio ao Projeto de Lei Anticrime. “Parricidas ou filicidas não deveriam sair da prisão em feriado do Dia dos Pais. É imoral e afeta a confiança das pessoas no império da lei e da Justiça. Mas não adianta culpar o juiz, precisa mudar a lei atual. Apoie o projeto de lei anticrime”, comentou.

Na oportunidade, o ministro lembrou que o projeto veta a saída temporária de presos condenados por crimes hediondos e retuitou o presidente Jair Bolsonaro (PSL), que concorda com a ideia. O próprio chefe do Executivo já havia criticado a saída temporária de Nardoni.

Nessa quinta-feira (08/08/2019), Bolsonaro comentou o caso em conta oficial no Twitter e disse que a situação é “lamentável”.

Entenda
Em 2008, aos cinco anos de idade, Isabella Nardoni morreu depois de supostamente cair da janela do apartamento do pai e da madrasta à época, Anna Carolina Jatobá. Os dois negam que tenham jogado a menina, mas a Justiça considerou o casal culpado.

Nardoni está preso em Tremembé (SP) há 11 anos e passou para o regime semiaberto em abril de 2019. A partir de então, pode ficar fora da prisão por até 35 dias ao ano, durante saídas temporárias.

Últimas notícias