Barroso sobre comitê anti-Covid: “Um ano e 300 mil mortos de atraso”

Ao ser informado sobre a criação da medida, após recorde de mortos por coronavírus, o ministro do STF ironizou a demora do Executivo

atualizado 24/03/2021 15:22

Luís Roberto BarrosoIgo Estrela/ Metrópoles

Em tom de decepção com a atuação do governo federal frente à pandemia de Covid-19, o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), criticou a demora para a criação de uma comissão de combate ao vírus no país. Após recorde de mortes, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou a criação da medida.

“Fiquei feliz de saber que com um ano de atraso resolveram montar uma comissão de especialistas e de médicos, com um ano de atraso e 300 mil mortos”, ironizou.

A declaração foi dada após o presidente da Corte, ministro Luiz Fux, comunicar aos colegas a decisão do governo de criar um comitê para coordenar nacionalmente o combate à Covid. Em resposta a Barroso, Fux também ironizou: “Foi muito bom”.

Os comentários foram feitos no início da sessão desta quarta-feira (24/3), do Supremo, quando Fux disse aos ministros que vai indicar um integrante do Conselho Nacional de Justiça para integrar o comitê.

O objetivo é estudar um tipo de “controle prévio” das medidas para evitar que elas sejam judicializadas.

Últimas notícias