Jurista Paulo Bonavides morre aos 95 anos no Ceará

Ele é autor de diversas obras sobre direito constitucional e ciência política. A causa da morte não foi divulgada

atualizado 30/10/2020 20:01

OAB/Divulgação

O professor e jurista Paulo Bonavides morreu nesta sexta-feira (30/10), aos 95 anos, em Fortaleza, capital do Ceará. O anúncio foi feito pela Universidade Federal do Ceará (UFCE). A causa da morte não foi divulgada.

“O mundo perdeu hoje uma de suas principais referências no constitucionalismo e na política. Mestre excepcional, estudioso renomado, homem de ideias firmes e inspiradoras, o prof. Paulo Bonavides deixa-nos, aos 95 anos, com uma vasta obra jurídica e uma vida dedicada ao aperfeiçoamento republicano e democrático do país”, diz a nota.

Nascido em Patos, na Paraíba, Bonavides iniciou a carreira no jornalismo e estudou direito na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), tendo ainda estudado sociologia jurídica na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

Bonavides lecionou na UFCE e é autor de várias obras de direito constitucional e de ciência política. Ele foi professor emérito e visitante de universidades do Brasil e do exterior e recebeu o título de doutor honoris causa da Universidade de Lisboa, em 1998.

Repercussão

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), destacou a trajetória de Bonavides como professor, membro da Academia Cearense de Letras e um dos autores da Constituição do estado. “Em 2015, tive a honra de convidá-lo para ser patrono do Pacto por um Ceará Pacífico. Meus sentimentos aos familiares e amigos do jurista Paulo Bonavides. Estou decretando luto oficial de três dias no Estado”, disse.

“O professor Paulo Bonavides, homem do seu tempo e de todos os tempos, formou gerações de juristas. Sua obra monumental, que moldou o direito constitucional brasileiro, permanecerá como legado e inspiração para todos aqueles que creem na força de nossa democracia e na vitalidade de nossas instituições”, afirmou o ministro Luiz Fux, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF).

O ministro Alexandre de Moraes, do STF, também se manifestou. “Tive a grande honra de conviver com o professor Paulo Bonavides. Um dos maiores estudiosos de constitucional e ciência política do Brasil. Inteligente, humilde e extremamente dedicado a seus alunos. Um grande coração e exemplo para todos nós. Que descanse em paz ao lado de Deus”, escreveu.

“Paulo Bonavides manteve a chama do constitucionalismo acesa durante a longa noite da ditadura militar. Liderou o movimento pós-positivista no Brasil e era uma pessoa adorável, generosa e de grande senso de humor. Um ser iluminado. A partir de agora, brilhará no firmamento”, disse o ministro Luis Roberto Barroso, do STF.

Bonavides era tio-avô da deputada federal Nathalia Bonavides (PT-RN)

Últimas notícias