João Doria nega haver incentivo do PSDB para debandada do PSL

Governador de SP descarta eventual candidatura de Joice Hasselmann à prefeitura da capital pelo partido

atualizado 22/10/2019 17:50

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), descartou a hipótese de incentivar a ida de parlamentares do PSL, em crise, para o seu partido. A legenda do chefe do Executivo paulista abrigou o deputado federal Alexandre Frota após o seu rompimento com o presidente Jair Bolsonaro e posterior expulsão da legenda, em agosto deste ano.

“Nós não temos nenhum interesse em ficar estimulando a saída de parlamentares do PSL. As questões devem ser debatidas e, até que se serenem, o PSDB — seja por mim, seja pelos outros governadores do PSDB, seja pelo Bruno Araújo, o nosso presidente — não fará nenhum movimento. Não é legítimo, não é correto e não é adequado”, afirmou.

Doria conversou com jornalistas após uma visita ao presidente da República em Exercício, Hamilton Mourão, na tarde desta terça-feira (22/10/2019).

O governador negou que o encontro do Mourão seja uma afronta ao presidente Jair Bolsonaro, que está em viagem à Ásia e ao Oriente Médio ao longo das próximas semanas. Em eventual disputa à presidência em 2022, Bolsonaro e Doria serão potenciais adversários. Doria não nega o interessa em concorrer ao principal cargo no país.

“Essa audiência foi marcada já tem algum tempo. O presidente Mourão teve o cuidado, inclusive, de informar sobre esse encontro ao presidente Bolsonaro, até para não haver nenhuma interpretação de que isso foi deliberadamente feito na ausência do presidente para afrontá-lo ou para colocar nisso qualquer tipo de bandeira”, disse.

João Doria relatou que o objetivo da conversa foi alinhar com o governo federal duas propostas do governo de São Paulo: a desativação do Aeroporto Campo de Marte para pouso e decolagem de aviões e a construção de uma ponte que ligará Santos ao Guarujá. “Aqui não foi uma conversa política. Foi um conversa técnica”, frisou.

Eleição municipal
O governador de São Paulo reafirmou sua admiração pela deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), mas manteve o posicionamento de apoio ao atual prefeito Bruno Covas (PSDB), seu correligionário e ex-vice, nas eleições municipais de 2020.

Joice foi destituída do cargo de líder do governo no Congresso Nacional na última semana e pretende se dedicar à candidatura da prefeitura paulista. Em atritos com o partido, a parlamentar avalia trocar a sigla.

“Ela tem todo direito de disputar. Não pelo PSDB, obviamente, porque nós já temos um candidato”, afirmou João Doria. “Ela será bem-vinda pelo partido. Seja pelo PSL, que é o partido que ela ocupa nesse momento, é a legenda que ela tem, ou qualquer outro partido”, complementou.

Últimas notícias