Intérprete de Marília Mendonça diz: “Marco da comunidade surda”

Intérprete de libras, Gessilma Dias, fez sucesso ao participar das lives da cantora sertaneja em meio à pandemia de Covid-19 em 2020

atualizado 07/11/2021 11:37

goias marilia live librasReprodução

GoiâniaIntérprete de libras há 20 anos, Gessilma Dias, ganhou destaque ao participar das lives de Marília Mendonça durante a pandemia de Covid-19. Segundo a profissional, a cantora foi a primeira artista a usar a língua brasileira de sinais em suas transmissões ao vivo em 2020.

“Marília vai ser um marco da comunidade surda. Ela teve essa ideia. Criou esse espaço para que a gente mostrasse o nosso trabalho. Para que a comunicação realmente aconteça. Para que os surdos pudessem ter acesso”, disse a intérprete em entrevista à TV Anhanguera.

Aclamada com a rainha da sofrência, Marília Medonça foi vítima de um acidente aéreo na última sexta-feira (5/11), em Caratinga (MG). A cantora no auge de sua carreira, aos 26 anos. Outras quatro pessoas – o produtor Henrique Ribeiro, o tio e assessor Abicieli Silveira Dias Júnior, o piloto Geraldo Martins de Medeiros Júnior e o co-piloto Tarcísio Pessoa Viana.

0
Acessibilidade na música

De acordo com Gessilma, muito surdo não têm espaço no meio musical. “Porque a gente fala assim: ‘o surdo não gosta de música, porque ele não ouve’. Mas alguns gostam. Como você vai saber se eles gostam ou não se eles não participam daquele espaço”, disse a intérprete, exaltando a oportunidade oferecida pela sertaneja.

Pelas redes sociais, a profissional agradeceu o respeito de Marília com a comunidade surda. “Gratidão pelo respeito a comunidade surda, por vc fazia questão do nosso trabalho em todas as lives que vc era a organizadora”, disse ela emocionada.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Gessilma Dias – Libras (@gessilma_dias)

Velório e sepultamento

Após uma tarde de comoção e homenagens, o corpo da cantora Marília Mendonça, 26 anos, foi enterrado na noite desse sábado (6/11), no Cemitério Parque Memorial, na região leste da capital goiana. O tio e assessor da artista, Abicieli Silveira Dias Filho, foi sepultado no mesmo local, em cerimônia reservada a parentes e amigos mais próximos.

Mais cedo, mesmo com uma tarde muito quente na capital de Goiás, admiradores da artista não desistiram de prestar uma última homenagem durante o velório, que foi aberto ao público.

A mãe da cantora, Ruth Dias, estava muito emocionada. Murilo Huff, pai do filho de Marília, chegou a passar mal e precisou ser amparado. Também compareceram ao velório artistas conhecidos como Maiara e Maraisa, Henrique e Juliano, Jorge (da dupla Jorge e Matheus), Mateus (da dupla Mateus e Kauan), Fernando (da dupla com Sorocaba), Naiara Azevedo, Luísa (dupla Luísa & Murilo), João Neto & Frederico, Felipe Araújo e João Reis, pai de Cristiano Araújo. O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), também esteve no ginásio.

Carreira

Marília Mendonça morreu no auge da carreira. Ela é bastante conhecida pelas músicas chamadas de “sofrência” e considerada uma das principais representantes do “feminejo”, ao lado de artistas como Maiara e Maraísa (de quem é muito próxima desde o começo da carreira) e Simone e Simaria.

Além de cantora, Marília também é compositora de outros nomes famosos do universo sertanejo. Composições dela já foram gravadas por nomes como Jorge e Mateus, Henrique e Juliano e Zé Neto e Cristiano.

Mais lidas
Últimas notícias