Iguatemi amplia shopping digital para Brasília e mais quatro capitais

Grupo busca reagir à crise com versão on-line do shopping, que promete como diferencial curadoria e marcas exclusivas

atualizado 28/07/2020 22:47

Mulher fazendo compras em loja virtual de roupas, calçados e acessóriosHugo Barreto/Metrópoles

A pandemia está mudando hábitos e levando para o ambiente digital muito do que estávamos acostumados a fazer fisicamente. Uma realidade que está obrigando os empresários a se adaptar. Presença forte no setor de consumo de itens de luxo em Brasília desde que abriu no Lago Norte, em 2010, o shopping Iguatemi traz para a capital, a partir desta terça (28/7), uma ampliação digital do seu negócio.

Com mais de 14 mil produtos, incluindo peças de marcas exclusivas como Emporio Armani, Vert, Osklen e Dolce&Gabbana, a plataforma Iguatemi 365 promete oferecer a um público mais exigente peças que não estão à venda nas lojas virtuais tradicionais.

O modelo já funciona em São Paulo há seis meses e agora está chegando a Brasília, Goiânia, Campo Grande, Curitiba e Porto Alegre.

As mudanças no perfil do consumidor impostas pela pandemia do novo coronavírus são um motor da novidade, mas não se trata de uma simples migração do consumo físico para o virtual, na opinião do CEO do Grupo Iguatemi, Carlos Jereissati Filho.

“Com tudo que está acontecendo, algumas tendências estão se acelerando, mas acreditamos muito que o futuro não é só on-line, é a soma do físico com o digital. Porque nós vamos inclusive ampliar o espaço físico do shopping, mas mesmo assim há coisas que não cabem fisicamente, há lojas que não estão na cidade mas estão no digital. Então, é um complemento”, afirma ele em conversa com o Metrópoles.

Retomada aos poucos

Depois de um início com pouco movimento na retomada pós fechamento imposto pela quarentena, a versão física do shopping já recuperou entre 70% e 80% do movimento, conta o executivo, cuja expectativa é retomar o movimento total até o fim do ano. “Mas isso, em São Paulo, não afetou com muita força o ‘movimento’ no Iguatemi 365, o que mostra que o modelo agradou e complementou a experiência”, afirma Jereissati.

Os shoppings da capital abriram no fim de maio e desde então vêm tendo o horário permitido para o funcionamento ampliado. Alguns serviços, como o cinema, ainda não podem ser oferecidos.

Curadoria e consumo premium

O diferencial do Iguatemi 365 frente a sites que trazem múltiplas marcas, como a Amazon, segundo Jereissati é a exclusividade de “quem não quer se perder num mar de ofertas”.

No cardápio, estão 270 marcas até agora, incluindo algumas que não têm lojas físicas em Brasília ou mesmo no Brasil. Entre elas estão Tiffanny&Co, Vilebrequin, Chiara Ferragni, A. Niemeyer, Emporio Armani, Galeria Carbono, Cariuma, Mistral, Livraria Cultura, John John e Lenny Niemeyer.

0

Uma curadoria e um programa de fidelidade que vai funcionar tanto na versão física quanto na digital são outros atrativos prometidos pelo Iguatemi 365 para convencer o público a “ir ao shopping” pelas telas de computadores e smartphones.

Mais lidas
Últimas notícias