Idosa que estava desaparecida após acidente com ônibus é achada morta

Aparecida Ribeiro, de 63 anos, estava desaparecida após o grave acidente em Aparecida de Goiânia. Corpo estava no córrego Santo Antônio

atualizado 25/12/2021 12:03

Aparecida Ribeiro, de 63 anos, está desaparecida desde o acidente com ônibus em Goiás, na madrugada de 24/12Arquivo pessoal

Goiânia – O Corpo de Bombeiros de Goiás (CBMGO) encontrou, na manhã deste sábado (25/12), o corpo da sexta vítima do acidente de ônibus que ocorreu na BR-153, em Aparecida de Goiânia, na sexta-feira (24/12). Trata-se de Aparecida Ribeiro, de 63 anos, que estava desaparecida.

Até então, tinha sido divulgado que eram cinco vítimas fatais, mas a família estava em busca de informações sobre a idosa.

O corpo foi encontrado durante buscas no local do acidente. Conforme as informações dos bombeiros, ele estava dentro da água, no leito do córrego Santo Antônio, exatamente onde o ônibus caiu.

O corpo estava a apenas 1 m de profundidade. Os bombeiros suspeitam que a idosa tenha caído do veículo no momento em que ele era retirado da água.

A idosa era uma das passageiras do veículo, e a família já havia denunciado o sumiço dela nessa sexta.

0

De acordo com a filha de Aparecida, a auxiliar administrativa Wylla da Silva, a idosa não estava na listagem de feridos, mas também não havia sido identificada entre os mortos.

A família fez uma verdadeira peregrinação entre o local do acidente, hospitais de Goiânia, Aparecida de Goiânia e o Instituto Médico Legal (IML) de Aparecida, para onde os corpos foram levados.

Segundo Wylla, a mãe havia encaminhado uma mensagem pelo celular por volta de 1h46 e avisado que estava passando pelo município de Hidrolândia. Minutos depois, o ônibus sofreu o acidente.

A idosa voltava de Uberaba para Goiânia. Ela tinha ido para Minas a passeio.

A filha chegou a relatar ao Metrópoles que temia pelo estado de saúde da mãe e acreditava que ela poderia ter alguma confusão mental, sendo identificada de forma errada em alguma unidade de saúde.

Demais vítimas

Das cinco pessoas que estavam no ônibus e tiveram a morte confirmada nessa sexta-feira, uma havia sido reconhecida por familiares. Trata-se do idoso José Joaquim Macedo dos Santos, de 74, morador do Gama (DF).

O filho dele, Vanderlei Macedo, de 39, foi até o Instituto Médico Legal de Aparecida para fazer o reconhecimento. No entanto, como a vítima não portava documentos, a confirmação oficial ainda dependia de exames e chancela do Instituto de Identificação de Brasília.

Até então, além de José Joaquim, outras três pessoas já foram identificadas, mas sem confirmação papiloscópica. São elas: um casal de São Paulo (Maria Eunice Silva, de 67, e Lourival José, de 74) e um jovem por nome Ronaldo Reis, de 26, que seria do Piauí. Uma mulher com idade entre 40 e 50 anos segue sem qualquer identificação.

Colisão

O veículo da Real Expresso saiu de São Paulo (SP) com destino a Brasília (DF) e bateu, por volta das 2h, em um caminhão e uma viatura da concessionária que administra o trecho da BR-153. O ônibus despencou por uma ribanceira, parando somente no leito do córrego. O local é próximo ao ponto em que o piso da rodovia erodiu no último domingo (19/12), após fortes chuvas.

Metrópoles acompanhou o trabalho da equipe de resgate para içar o ônibus e retirá-lo da água. Os dois sentidos da BR-153 ficaram bloqueados para a operação de retirada do veículo do local. O trânsito só foi liberado no início da tarde.

Mais lidas
Últimas notícias