Idoso do DF é reconhecido entre mortos no acidente com ônibus em GO

Família foi até IML e identificou o corpo de José Joaquim, de 74 anos; mas ele estava sem documentos e depende de confirmação papiloscópica

atualizado 24/12/2021 17:26

José Joaquim, de 74 anos, morador do Gama (DF), foi identificado pela família como uma das vítimas de acidente de ônibus em Aparecida de GoiâniaArquivo pessoal

Goiânia – O idoso José Joaquim Macedo dos Santos, de 74 anos, foi reconhecido por familiares entre as vítimas fatais de grave acidente com ônibus que matou cinco pessoas na madrugada desta sexta-feira (24/12) na BR-153, Aparecida de Goiânia, região metropolitana da capital goiana. Eles são moradores do Gama (DF).

O filho dele, Vanderlei Macedo, de 39 anos, foi até o Instituto Médico Legal de Aparecida para fazer o reconhecimento. No entanto, como a vítima não portava documentos, a confirmação oficial ainda depende de exames e confirmação junto ao Instituto de Identificação de Brasília.

Vanderlei Macedo contou ao Metrópoles que o pai tinha ido a Caldas Novas (GO) na última quarta (22/12). Ele voltava para o DF para passar o Natal com a família.

“É um pai super amoroso, avó mais amoroso ainda. Ele fica com as minha filhas quando estou trabalhando. Vai fazer muita falta”, disse.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0

Lamento

De acordo com Vanderlei, assim que a família soube do acidente e identificou que era o ônibus no qual José Joaquim estava, se deslocou imediatamente para Goiânia em busca de notícias. Mas jamais imaginavam que o idoso estivesse entre as vítimas fatais.

“Viemos na esperança de que ele não estivesse aqui [IML], que estivesse ao menos hospitalizado, que fosse um dos sobreviventes”, lamenta-se o filho.

Conforme Vanderlei Macedo, a viagem do pai a Caldas Novas foi para se encontrar com um irmão de São Paulo que estava na cidade turística goiana a passeio. José Joaquim tinha esposa, cinco filhos e nove netos.

“A gente estava cheio de planos, a expectativa era que ele chegasse para passar o Natal conosco. Ele morava com a minha mãe e o meu irmão. É triste, uma data que a gente quer celebrar, confraternizar, estar em família”, afirma o filho.

Ele cobra justiça para o caso, que vê como homicídios, com culpados. “Até o momento, um rapaz da seguradora nos procurou, mas não tivemos contato com ninguém da concessionária ou da empresa de ônibus”, acrescentou.

Assim que liberado, o corpo de José Joaquim será levado para a capital federal. Ainda não há informações sobre velório e sepultamento.

Vítimas

Até agora, além de José Joaquim, reconhecido por familiares, outras três pessoas já foram identificadas, mas sem confirmação papiloscópica. São elas um casal de São Paulo (Maria Eunice Silva, de 67 anos, e Lourival José, de 74); e um jovem por nome Ronaldo Reis, de 26 anos, que seria do Piauí.  Uma mulher com idade entre 40 e 50 anos segue sem qualquer identificação.

Conforme o coordenador da Polícia Científica, Murilo Toscano, é necessária a confirmação oficial da identidade. “Precisamos da identificação completa. Como é uma situação que envolvem muita emoção, as vezes as pessoas se confundem olhando apenas a foto”, disse ele.

Outras duas famílias também foram ao local e seriam de outras duas vítimas do acidente. No entanto, também não há a confirmação das identidades, que deve sair até o final do dia.

Uma família esteve no Instituto Médico Legal de Aparecida e circulou por hospitais da região em busca de informações sobre uma parente que estaria desaparecida até o momento. Mas não há confirmação sobre este fato.

Identificação

O gerente do Instituto de Criminalística de Goiás, Olegário Augusto, confirmou ao Metrópoles que todos os cinco corpos foram levados para o IML em Aparecida de Goiânia. De acordo com ele, a expectativa é de que os corpos sejam liberados o mais rápido possível, mas, conforme acrescentou, há possibilidade de demora nesse procedimento em razão de os parentes das vítimas, possivelmente, serem de outros estados.

A empresa de ônibus tem uma seguradora, que vai ficar responsável pelo transporte dos corpos.

Passageiros disseram ao Metrópoles que ônibus estava atrasado. Por isso, eles acreditam que, provavelmente, o motorista estava pressionado e andando em alta velocidade. O veículo era para passar às 21h30 em Caldas Novas, mas só embarcou passageiros na cidade duas horas depois do previsto.

Colisão

O veículo da Real Expresso, que seguia de São Paulo (SP) para Brasília (DF), bateu, por volta das 2h, em um caminhão e uma viatura da concessionária que administra o trecho da BR-153, e despencou por uma ribanceira, parando somente no leito do córrego. O local é próximo ao ponto em que o piso da rodovia erodiu no último domingo (19/12), após fortes chuvas.

O Metrópoles acompanhou o trabalho da equipe de resgate para içar o ônibus e retirá-lo da água. Os dois sentidos da BR-153 ficaram bloqueados para a operação de retirada do veículo do local. O trânsito só foi liberado no início da tarde.

Feridos

Ao todo, foram 46 envolvidos no acidente: 5 morreram; 27 recusaram atendimento; 14 feridos foram enviados para hospitais com quadros de saúde diferentes.

Parte dos pacientes foi levada para o Hospital Estadual de Urgências de Goiás (Hugo). A unidade informou que recebeu sete pacientes. Dois deles estão no centro cirúrgico, três estão estáveis e passam por avaliação médica e exames e dois já tiveram alta hospitalar.

A Secretaria de Saúde de Aparecida de Goiânia informou que a equipe do SAMU atuou no socorro às vítimas do acidente desta madrugada na BR-153. Segundo informações do órgão, pacientes graves foram encaminhados para hospitais da região metropolitana (Heapa, Hugo e Hugol) e três pacientes com quadros leves foram encaminhados à UPA Brasicon. A secretaria informa que esses três pacientes estão bem e já receberam alta.

A empresa responsável pelo ônibus e pela viagem disse que o acidente será investigado. “As causas do acidente serão apuradas em procedimento interno da empresa como também pelas investigações oficiais, e estamos trabalhando em conjunto com as Polícias Rodoviária e Civil para que tudo seja, o quanto antes, esclarecido”, informou a empresa Real Expresso.

Mais lidas
Últimas notícias