Hospital Badim: mortes foram por asfixia e desligamento de aparelhos

O incêndio que tomou a unidade na noite de quinta-feira deixou 11 vítimas. Perícia segue sendo feita para identificar causa do fogo

WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDOWILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO

atualizado 13/09/2019 15:46

A Polícia Civil confirmou que os 10 corpos levados para o Instituto Médico Legal de São Cristóvão, após o incêndio no Hospital Badim, na Zona Norte do Rio de Janeiro, morreram por asfixia. De acordo com a diretora do IML, Gabriela Graça, algumas vítimas também tiveram complicações por conta do desligamento de aparelhos de suporte à vida. As informações são do jornal O Dia.

A Polícia Civil está apurando para saber se um pico de luz causou o incêndio. A companhia de energia elétrica Light nega o fato, mas a informação vem sendo insistentemente repassada por familiares de pacientes. Em nota, a Light pontuou que não houve registro de interrupção na rede elétrica da empresa.

A perícia técnica do Instituto Criminalista Carlos Éboli começou por volta das 8h desta sexta-feira (13/09/2019). Os agentes apreenderam aparelhos do circuito interno de câmeras. “Analisando as imagens vamos poder confirmar se houve realmente o pico de luz ou não, e depois temos que ver tecnicamente se isso pode ter causado algum curto”, explicou o delegado Roberto Ramos.

Segundo a unidade policial, o subsolo do Hospital Badim está alagado por causa da água utilizada para combater o fogo. Um dos prédios do hospital foi interditado para que seja realizado o trabalho da perícia.

Últimas notícias