Homem tem carro roubado e é torturado por mais de 48 horas em Goiás

Bandidos amarraram vítima e a agrediram com uma barra de ferro, enquanto tentavam transferência de veículo e R$ 10 mil

atualizado 15/08/2022 13:37

barraco tortura senador canedo goiasPCGO

Goiânia – Um homem de 42 anos teve o carro que dirigia roubado e foi torturado por mais de 48 horas por cinco bandidos dentro de um barraco, em Senador Canedo, na região metropolitana da capital de Goiás. O caso aconteceu em maio, mas a investigação foi concluída no início deste mês.

Segundo relatório assinado pelo delegado Gil Fonseca Bathaus da Delegacia de Repressão a Roubos de Veículos (DERFVA), a vítima é um aposentado dependente químico, 42 anos, que estava havia seis meses sem usar drogas. No entanto, ele teve uma recaída na noite de 3 de maio, uma terça-feira.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
0

O aposentado foi dirigindo o Fiat Linea cinza da mãe até a Praça do Trabalhador, na região central de Goiânia, onde conseguiu comprar R$ 100 de crack com um traficante. Após consumir o produto, ele sentiu vontade de fumar mais e voltou ao traficante.

Dessa vez, o criminoso alegou que precisavam ir até um barraco em uma “favela”, onde tinha mais droga, e a vítima poderia se drogar sem temer uma abordagem policial. A vítima aceitou a proposta e foi até o local com o homem e mais uma pessoa.

Cativeiro

O aposentado dependente químico e essas outras duas pessoas, que atuariam no tráfico, consumiram drogas até o dia amanhecer. No entanto, no dia seguinte, quando a vítima quis voltar para casa, foi impedida.

Uma terceira pessoa chegou no local e os desconhecidos pegaram a chave do Fiat Linea e pressionaram para que o aposentado passasse o veículo para o nome deles.

Como não obtiveram sucesso, colocaram a vítima amarrada dentro do carro e foram até a casa da mãe da vítima, que foi ameaçada. Os bandidos tentaram extorquir a mulher, pedindo que assinasse o documento de transferência do veículo ou iriam matar o filho dela.

A mãe não cedeu à extorsão. Os bandidos, então, voltaram ao barraco, onde o aposentado ficou mais de dois dias inteiros amarrado, com a cabeça coberta e sendo torturado com uma barra de ferro. Enquanto isso, tentavam extorquir a mãe do dependente químico pelo celular.

Soltura e trauma

Por fim, os bandidos soltaram a vítima em uma rua próxima da casa dela em 6 de maio. Eles levaram celulares e peças do carro. O aposentado e a mãe se mudaram para outro estado, na região Norte do país.

“(A mãe da vítima) estava desesperada, pois sofreu todo tipo de ameaça para assinar o documento do carro, sendo que mudou de residência por medo dos criminosos retornarem ao local”, escreveu o delegado no relatório da investigação.

Prisão

De acordo com a investigação, um total de cinco pessoas participaram do crime. Três foram identificados e indiciados por roubo com violência e cárcere privado. A polícia ainda trabalha para identificar a participação dos outros dois integrantes da quadrilha.

Anderson de Araújo Silva, o Rondônia, foi preso na última sexta-feira (12/8). Outros dois são considerados foragidos: Leandro Barros da Silva, de apelido SGOT, e Diego Jesus dos Santos. Informações sobre eles podem ser repassadas ao Disque Denúncia 197. O Metrópoles tentou encontrar os advogados dos indiciados, mas não havia identificado os defensores até a última atualização desta reportagem. O espaço segue aberto para possíveis manifestações.

Mais lidas
Últimas notícias