Homem que planejou massacre na UnB é preso pela PF em Curitiba

Marcelo Valle Silveira Mello, 32 anos, foi detido sob acusação de crimes de ameaça, racismo, homofobia e associação criminosa

Arquivo PessoalArquivo Pessoal

atualizado 10/05/2018 15:44

A Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã desta quinta-feira (10/5), a Operação Bravata, ação que combate crimes de racismo, ameaça, incitação ao crime e terrorismo praticados via internet. Um dos detidos é velho conhecido dos investigadores. O analista de sistemas e ex-estudante da Universidade de Brasília (UnB) Marcelo Valle Silveira Mello, 32 anos, foi detido em Curitiba (PR). Ele havia sido mandado para a cadeia em 2012 acusado de arquitetar um massacre a alunos da UnB.

Por causa dele, há seis anos, surgiu a Operação Intolerância. Valle ficou detido no Paraná por 1 ano e 6 meses. Ao ganhar o direito de cumprir o restante da pena em liberdade, voltou a criar páginas anônimas para atacar e ameaçar mulheres, negros e homossexuais. Uma delas ensinava como cometer estupros.

No âmbito da Bravata, ele responderá por ameaça, racismo, associação criminosa e incitação ao crime, já que “os sites e fóruns mantidos na internet, incentivam a prática de diversos crimes, como estupro e assassinato de mulheres e negros, bem como por terrorismo, tendo em vista haver evidências de que os mesmos foram responsáveis por ameaças de bomba encaminhadas a diversas universidades do país”, informou a PF.

A Bravata mobilizou cerca de 60 policiais federais, que cumpriram oito mandados de busca e apreensão em Curitiba, Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Santa Maria (RS) e Vila Velha (ES). Apenas Marcelo Valle foi detido.

Condenado
Em 2013, ele foi condenado a 6 anos e 7 meses de prisão em regime semiaberto, além de multa de R$ 4 mil. A Justiça do Paraná entendeu que Valle havia praticado os crimes de indução à discriminação ou preconceito de raça, incitação à prática de crime e publicação de vídeos e fotografias de crianças e adolescentes em cenas de sexo.

Em março de 2012, Marcelo Valle e Emerson Eduardo Rodrigues foram detidos, acusados de planejar uma chacina de estudantes do curso de ciências sociais da UnB. Os dois mantinham mapa de uma casa no Lago Sul, onde seria realizada uma confraternização dos universitários. Na conta de Valle, havia cerca de R$ 500 mil, dinheiro supostamente doado por simpatizantes radicais à causa dele. As investigações, à época, apontaram que o recurso serviria para financiar o atentado.

Em 2017, uma conta de e-mail com o nome do suspeito enviou mensagem ameaçando de morte o apresentador e jornalista Fernando Oliveira, mais conhecido como Fefito. O motivo do ataque seria homofobia.

BolsoCoin
Já em janeiro de 2018, Marcelo Valle voltou ao noticiário ao criar a moeda virtual BolsoCoin. Oferecida e divulgada em cantos pouco conhecidos na internet, a invenção é uma criptomoeda vendida por seus criadores como a primeira “da direita alternativa e neonazista do Brasil”.

A BolsoCoin é uma das milhares de criptomoedas existentes hoje no mundo. A modalidade é uma espécie de dinheiro virtual que utiliza a criptografia para garantir mais segurança em transações financeiras na internet e criar novas unidades da moeda, como em um investimento. A transferência de valores é feita de um usuário a outro, sem a interferência de instituições bancárias.

Últimas notícias