Guardas impedem evento com palco flutuante na Praia dos Amores, no Rio

Evento reunia cerca de 30 embarcações e mais de 50 pessoas. Capitania dos Portos aplicou multas

atualizado 11/07/2021 18:36

Divulgação / Prefeitura do Rio

Rio de Janeiro – Técnicos da Prefeitura do Rio impediram a realização de uma festa irregular, em alto-mar, neste sábado (10/7), na Praia dos Amores, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. O evento contava com um palco flutuante. O público estava em embarcações e na pequena faixa de areia do local.

Havia cerca de 30 embarcações na área, incluindo lanchas, jet skis e um palco flutuante, com mais de 50 pessoas. Ao perceber a aproximação das equipes, os organizadores desmontaram a aparelhagem de som e se retiraram do local.

“Continuamos firmes na fiscalização de festas e eventos clandestinos. A quantidade de pessoas que impedimos de aglomerarem nesses eventos interrompidos antes mesmo de começarem é fundamental para a preservação de vidas”, afirmou o secretário de Ordem Pública, Brenno Carnevale.

A Capitania dos Portos chegou a aplicar multas às embarcações que estavam em desacordo com regras de navegação. Após o encerramento do evento, equipes da Guarda Municipal permaneceram no local para impedir que as pessoas retornassem.

“Essa foi uma ação muito importante para evitar a festa com embarcações e um palco flutuante. Além das restrições da pandemia, existem outros riscos desse tipo de festa irregular, como a poluição sonora, a embarcação sem itens de segurança, falta de habilitação dos condutores, os riscos para outras embarcações, consumo de bebidas alcoólicas, entre outras”, disse o subprefeito Raphael Lima.

0

A ação para desmobilização do evento foi comandada pela Guarda Municipal do Rio (GM-Rio) e pela Secretaria Municipal de Ordem Púbica (Seop), com apoio da da Subprefeitura da Barra da Tijuca e da Gestão Executiva Local, da Prefeitura do Rio, e da Capitania dos Portos. Policiais militares do Programa Segurança Presente e do 31º Batalhão da Polícia Militar também foram para o local.

“Depois de diversos eventos festivos que ocorreram no local, que tiravam toda a segurança e o sossego noturno dos moradores, fomos demandados pela associação de moradores e prontamente acionamos os órgãos competentes para que evitasse que um transtorno maior acontecesse e que essa festa viesse a acontecer”, disse a gestora executiva local Marize Vieira.

Últimas notícias