Greve de rodoviários no RJ é suspensa; BRT e ônibus voltam a circular

Sindicato dos Rodoviários vai cumprir ordem judicial e motoristas vão retornar à circular com coletivos. Passageiros viveram manhã de caos

atualizado 29/03/2022 10:34

Cariocas enfrentaram o caos com a greve de rodoviários do BRT e de parte dos ônibus comunsAline Massuca/Metrópoles

Rio de Janeiro – A greve dos ônibus, que começou à meia-noite desta terça-feira (29/3), no Rio de Janeiro, foi suspensa pelo Sindicato dos Rodoviários após uma determinação da Justiça. Conforme a associação, não houve nenhum acordo e nenhuma proposta por parte dos empresários até o momento, mas eles apenas estão cumprindo a ordem do Tribunal Regional do Trabalho.

Após a decisão, os motoristas de BRT e de ônibus comuns deverão voltar a circular com os veículos pela cidade. Até às 10h, apenas metade da frota de coletivos comuns estava nas ruas, enquanto 100% da frota de articulados permaneceu na garagem.

“Determino ao sindicato que se abstenha de deflagrar o movimento grevista, sob pena de multa diária no valor de R$ 200.000,00 (duzentos mil reais) e designando o dia 04/04/2022, às 11h00 para realização de Audiência de Conciliação”, diz a decisão judicial.

0

“O Sindicato vai tomar todas as providências cabíveis para reverter essa decisão absurda. Esperamos que o Tribunal tenha a mesma rapidez e boa vontade para atender o interesse dos patrões, tenha também para atender os trabalhadores”, disse o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Sebastião José.

Desde as primeiras horas do dia, os pontos de ônibus ficaram lotados e a falta de transporte deixou milhares de cariocas com problemas para chegar ao trabalho, escolas e outros afazeres.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Rodoviários, os motoristas disseram que foram ameaçados para saírem com os ônibus das garagens, sob pena de sofrerem sanções e até demissões:

“As empresas estão usando a liminar como forma de impor o retorno dos profissionais. Porém, o sindicato ainda não foi comunicado oficialmente da liminar. Assim que isso ocorrer, iremos convocar uma assembleia para informar a categoria a decisão judicial. Isso já era esperado por parte das empresas, que tratam a categoria como gado e sem nenhuma sensibilidade em relação às necessidades da categoria”, disse Sebastião José.

Segundo o sindicato, os trabalhadores estão há mais de três anos sem nenhum reajuste, seja de salário, tickets ou cesta básica: “Em todos esses anos como sindicalista jamais presenciei um quadro tão tenebroso no transporte público como agora. Que na audiência marcada para o dia 4, o Tribunal possa fixar os percentuais de reajuste da categoria”, disse o presidente.

 

Mais lidas
Últimas notícias