Governo prioriza abastecer hospitais, termelétricas e aeroportos

Ministério da Defesa apresentou balanço das providências adotadas para normalizar abastecimento de combustíveis do país

Comando Nacional do Transporte/Fotos Públicas

atualizado 28/05/2018 18:10

O Ministério da Defesa apresentou na tarde desta segunda-feira (28/5) um balanço das medidas adotadas pelo governo federal até o momento para minimizar o impacto da greve dos caminhoneiros, que entra hoje no 8º dia, e garantir o abastecimento do país com itens de primeira necessidade, além de combustível.

Escoltas das forças de segurança priorizam o transporte para áreas essenciais – como o de combustível para veículos policiais, aeroportos e área da saúde, visto que ainda há hospitais cancelando procedimentos não urgentes pelo risco de desabastecimento.

A manutenção do funcionamento das usinas termoelétricas também é prioritária, de acordo com o almirante Ademir Sobrinho, chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas. Ele informou que a Força Aérea Brasileira (FAB), ainda nesta segunda, encaminhará dois aviões cargueiros do Rio de Janeiro para abastecer hospitais do país.

“Eles vão decolar para Montes Claros (MG), onde vão receber mil caixas de medicamentos e insumos hospitalares, cerca de 24 toneladas de remédios”, destacou o oficial.

Segundo o marechal, o fluxo de abastecimento de combustível do Aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília, está normalizado e outros terminais já são abastecidos. Marechal Sobrinho também disse que as termelétricas de Rondônia e Roraima estão com funcionamento normalizado e têm combustível garantidos para 20 dias.

Nas estradas
De acordo com Ademir Sobrinho, todos os policiais rodoviários federais e as tropas das Forças Armadas estão prontos para garantir a segurança dos caminhoneiros que desejarem retomar suas atividades nos próximos dias.

Segundo informou a Polícia Rodoviária Federal (PRF), até a tarde desta segunda, 727 pontos de obstrução em rodovias federais foram liberados, o que corresponde a 56% do total de locais bloqueados anteriormente. Os grevistas mantém piquetes em 556 pontos, mas, segundo o governo, são bloqueios parciais, sem prejuízo à circulação de outros veículos.

A PRF continua desenvolvendo ações para a manutenção de corredores interestaduais para a circulação de cargas de animais vivos, gêneros alimentícios, equipamentos essenciais, medicamentos, combustíveis e outras cargas sensíveis.

O corredor que ligará Belo Horizonte à Brasília foi estabelecido e é planejada a criação de outros para permitir que grande parte dos alimentos, combustíveis, material de saúde e ração cheguem aos destinatários finais, conforme informou o marechal Ademir Sobrinho.

“As ações para prestação de apoio aos manifestantes e usuários das rodovias federais continuam durante as movimentações de desmobilização no intuito de garantir a segurança de todos os usuários das rodovias federais”, informou, por meio de nota, a PRF.

 

Últimas notícias