Governo federal zera imposto de importação para seringas e agulhas

Essa é mais uma tentativa para tentar abastecer os estoques com o insumo. Sem eles, é impossível iniciar vacinação contra a Covid-19

atualizado 06/01/2021 14:21

vacina covidHugo Barreto/Metrópoles

O governo federal reduziu o Imposto de Importação a 0% para seringas e agulhas. Essa é mais uma medida na tentativa de abastecer os estoques do país com o insumo e garantir o início da vacinação contra a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Nesta quarta-feira (6/1), o Ministério da Economia anunciou que o Comitê-Executivo de Gestão da Câmara de Comércio Exterior (Gecex) decidiu reduzir o imposto de importação para mais cinco produtos, incluindo seringas e agulhas.

“Os produtos passam a integrar a lista de reduções tarifárias temporárias com o objetivo de facilitar o combate à pandemia da Covid-19”, destaca trecho do comunicado. Antes, a taxa era de 16%.

Essa é a segunda medida para tentar abastecer os estoques com o insumo. No domingo (3/1), o governo federal proibiu a exportação de seringas e agulhas.

As regras surgem dias após fracassar a primeira tentativa de comprar os materiais em um pregão eletrônico. No leilão, o Ministério da Saúde só conseguiu oferta para adquirir 7,9 milhões das 331 milhões de unidades que a pasta tem a intenção de comprar para vacinar a população.

O Ministério da Saúde ofereceu R$ 0,13 por seringa, quando as companhias pediam entre R$ 0,22 e R$ 0,48. A associação afirma que alertou o Ministério da Saúde desde julho sobre a necessidade de planejar a compra dos materiais para a vacinação.

A previsão é de que a imunização comece entre o fim de janeiro e início de fevereiro. Contudo, existem dois impeditivos: a falta de uma vacina aprovada no país e o risco de se ter o imunizante e não ter como aplicá-lo.

Nesta quarta-feira, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que o Ministério da Saúde suspendeu a compra de seringa até que os preços “voltem à normalidade”.

Bolsonaro também disse que estados e municípios têm estoques de seringas suficientes para o início da vacinação contra a Covid-19.

“Como houve interesse do Ministério da Saúde em adquirir seringas para seu estoque regulador, os preços dispararam e o MS suspendeu a compra até que os preços voltem à normalidade. Estados e municípios têm estoques de seringas para o início das vacinações, já que a quantidade de vacinas num primeiro momento não é grande”, escreveu o presidente numa rede social.

Últimas notícias