Governo faz apelo para população se vacinar contra a gripe

Sem atingir meta, Ministério da Saúde pede que público-alvo procure postos de vacinação para receber a proteção contra a influenza

atualizado 09/06/2021 17:11

Rafaela Felicciano/Metrópoles

Sem atingir as metas de imunização contra a gripe, o Ministério da Saúde fez um apelo para que a população se vacine contra a doença.

A pasta divulgou, nesta quarta-feira (9/6), um informe em que ressalta a necessidade da imunização. Nove grupos prioritários foram incluídos na terceira etapa da campanha.

“Pessoas que fazem parte dos grupos prioritários das etapas anteriores, e que por algum motivo não receberam a vacina influenza, ainda podem buscar os postos de saúde”, destaca trecho da nota do ministério.

Nesta quarta-feira, o Metrópoles mostrou que após completar dois meses, a campanha atingiu apenas 28,8% do público-alvo. A esta altura da imunização, ao menos 90% dos grupos prioritários deveriam ter recebido a dose.

O Ministério da Saúde já distribuiu mais de 58,3 milhões de doses do imunizante contra a gripe para todo o país. Desde 12 de abril, quando a campanha foi iniciada pelo Ministério da Saúde, 23 milhões de pessoas receberam a proteção.

O governo frisa que o objetivo da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza é “proteger os grupos mais vulneráveis e evitar as complicações e óbitos pela doença”.

O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Medeiros, endossou a necessidade de imunização para evitar a transmissão da gripe e diminuir o risco de internações e mortes pela doença.

“É importante reforçar a necessidade de imunização Considerando a pandemia da Covid-19, quanto mais pessoas estiverem protegidas das complicações causadas pela gripe, menos sobrecarga para o sistema de saúde”, destacou.

No ano passado, em meio à pandemia, o governo prorrogou a campanha contra a gripe com o objetivo de atrair mais público. O ministério estuda a possibilidade de repetir a medida neste ano, mas nenhuma decisão foi tomada ainda.

Gripe vs Covid-19

A área técnica do Ministério da Saúde recomenda que haja intervalo de 14 dias na aplicação das vacinas contra a gripe e contra a Covid-19. Ou seja, caso um idoso receba a imunização contra a Covid-19, ele terá de esperar duas semanas para receber a proteção contra a gripe.

O Ministério da Saúde recomendou que as secretarias de Saúde priorizem a vacinação contra a Covid-19, porém deve ser feito o agendamento da vacina da gripe.

A nova fase da campanha contra a gripe vai incluir pessoas com comorbidades ou deficiência permanente, caminhoneiros, portuários, profissionais das forças de segurança e salvamento, das forças armadas, funcionários do sistema de privação de liberdade e população privada de liberdade.

Nas duas primeiras etapas da campanha, foram vacinadas pessoas com mais de 60 anos, professores, crianças de seis meses a menores de 6 anos de idade, gestantes,  puérperas, indígenas e trabalhadores da saúde.

Últimas notícias