Governo diz que 11 milhões de famílias deixaram programa Bolsa Família

A mudança teria ocorrido pela redução do número de famílias abaixo da linha da pobreza, indicando avanço social, não vulnerabilidade maior

ReproduçãoReprodução

atualizado 16/07/2019 19:49

Por meio do porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, o Ministério da Cidadania anunciou, nesta terça-feira (16/07/2019), que cerca de 11 milhões de famílias deixaram voluntariamente o programa Bolsa Família, que visa ajudar brasileiros que estão abaixo da linha da pobreza.

O porta-voz negou que o número signifique aumento da vulnerabilidade de quem saiu. “Pelo contrário, sinaliza a evolução da situação social daquela família”, afirmou Rêgo Barros.

Segundo o ministério, caso a família volte à linha da miséria e queira voltara a receber o benefício, é preciso comprovar renda per capita de R$ 178 por mês para retornar ao programa. A respeito dos aspectos socioeducativos do Bolsa Família, o governo acompanhou 12 milhões dos 14 milhões de estudantes envolvidos com o projeto entre os meses de abril e maio. O resultado da pesquisa foi, segundo o porta-voz, a menor taxa de evasão dos alunos já registrada no período. Apesar do dado, não foi informada à imprensa a taxa e o índice usado para a comparação.

Em abril, o governo anunciou o 13º salário a famílias integrantes do Bolsa Família. Segundo o Ministério da Cidadania, responsável pelo repasse dos recursos, a ideia do governo é de que o Planalto envie ao Congresso uma Medida Provisória somente no mês de outubro, para que ela esteja em pleno vigor em dezembro, quando o salário adicional entraria na conta dos beneficiários.

Últimas notícias