Goiás testa crianças e adolescentes para esclarecer dinâmica da Covid

Com regras, testagem será realizada, das 8h às 19h, até sexta-feira, no câmpus 5 da PUC-GO. No sábado, horário será reduzido, das 8h às 12h

atualizado 06/04/2021 12:59

Crianças e adolescentes são testados para CoViD-19 em ação organizada pelo Governo de GoiásVinícius Schmidt/Metrópoles

Goiânia – Crianças e adolescentes começaram a ser submetidos, a partir desta terça-feira (6/4), a testes gratuitos de Covid-19, em Goiânia. A testagem é realizada em sistema drive-thru, no Câmpus 5 da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUCGO), no Jardim Goiás, região sul da capital. Não é necessário agendamento.

No total, a Secretaria Estadual de Saúde de Goiás (SESGO) planeja aplicar 5 mil testes em pessoas de 2 a 18 anos de idade. A testagem será realizada das 8h às 19h, até sexta-feira (9/3). No sábado (10/3), último dia dessa ação, o horário de atendimento será reduzido, das 8h às 12h.

Ao Metrópoles, a superintendente estadual de Vigilância em Saúde, Flúvia Amorim, disse que a testagem vai ajudar a entender a dinâmica da doença em pessoas com até 18 anos. “Existem estudos internacionais, e poucos estudos nacionais, sobre comportamento da doença nessa faixa etária específica”, ressaltou.

Segundo ela, falta informação sobre o comportamento do coronavírus principalmente em crianças. “Goiás não tinha essa informação, até então, principalmente de 2 até 12 anos. Alguns [estudos] foram feitos a partir de 12 anos, mas, abaixo disso, ninguém tinha feito ainda”, afirmou.

0

Além de residentes da capital, de acordo com a secretaria, também podem participar moradores da região metropolitana e de outros municípios goianos.

Regras para testagem

Para serem atendidos, crianças e adolescentes deverão seguir algumas regras, que são elencadas abaixo:

  • Adolescentes precisam estar matriculados em escola;
  • Todos devem estar acompanhados de pais ou responsáveis;
  • É indispensável documento de identificação;
  • É necessário preencher termo de assentimento livre e esclarecido;
  • Adolescentes com 18 e responsáveis pelas crianças devem preencher termo de consentimento;
  • Pessoas com sinais e sintomas de síndrome gripal não podem participar da testagem.

Durante a ação, crianças e adolescentes passarão por uma triagem antes de serem encaminhados para realização do teste rápido. A amostra será coletada por meio de um furinho na ponta do dedo (punção digital), para que se obtenha uma gota de sangue para análise.

O resultado deve ser liberado em cerca de 20 minutos e, caso seja positivo, a pessoa será encaminhada, de imediato, a outra triagem, para que seja submetida a teste de antígeno rápido, coletado por meio de swab nasal (cotonete).

Coleta de dados

De acordo com a SESGO, além de identificar a prevalência da infecção pelo coronavírus, a testagem nas crianças e adolescentes pretende coletar uma série de informações. Veja, abaixo, as principais:

  • Levantamento de características sociais, demográficas e epidemiológicas dos participantes;
  • Analisar fatores associados à contaminação pelo coronavírus;
  • Realizar rastreamento de contato para os casos positivos.

“É importante a participação das pessoas, pois pretendemos propor medidas de prevenção e controle baseadas nos resultados desse levantamento”, explicou a superintendente estadual de Vigilância em Saúde.

De acordo com Amorim, o aumento do número de casos em crianças está dentro da média. “Cresceu como cresceu nas demais faixas etárias. Proporcionalmente, nada de diferente. Todas as faixas etárias tiveram aumento no número de casos, por causa das variantes”, destacou.

Ação articulada

A testagem é realizada pela SES-GO, por meio das Superintendências de Vigilância e Saúde e da Escola de Saúde de Goiás, além das Regionais de Saúde Central e Centro-Sul.

A ação tem o apoio das Secretarias Municipais de Saúde e de Mobilidade de Goiânia; do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás; da PUC-GO e do Centro Universitário Alfredo Nasser (Unifan).

Últimas notícias