Gestão Crivella é alvo de ação que apura propinas à prefeitura

São cumpridos 17 mandados de busca e apreensão na manhã desta terça-feira (10/03). Entre os alvos, está a sede da Riotur

atualizado 10/03/2020 10:47

A Prefeitura do Rio de Janeiro, comandada por Marcelo Crivella (PRB), é alvo de operação deflagrada na manhã desta terça-feira (10/03). O objetivo da ação é investigar suspeitas de irregularidades envolvendo contratos firmados com o poder público.

As diligências são cumpridas na capital, nos bairros da Barra da Tijuca, Jacarepaguá e Copacabana, bem como em Angra dos Reis.

Além da sede da Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro (Riotur), são alvos de busca e apreensão as residências de Marcelo Alves, presidente da Riotur, e o irmão dele, Rafael Alves.

Ao todo, são cumpridos 17 mandados de busca e apreensão. As ordens foram concedidas pela desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ) Rosa Maria Helena Guita.

A operação foi deflagrada em conjunto com o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) e a Polícia Civil do estado (PCERJ).

A investigação é baseada na delação do doleiro Sérgio Mizrahy, preso pela operação Câmbio, Desligo, em 2019. De acordo com ele, haveria um “QG da Propina” operando dentro da Riotu, tendo o empresário Rafael Alves como o operador do suposto esquema.

Mais lidas
Últimas notícias