Damares indica general Franklimberg ao comando da Funai

Ele esteve à frente do órgão durante o governo Temer. Freitas ficará no lugar de Azelene Inácio, que será exonerada a pedido de Moro

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO AMAZONAS/DIVULGAÇÃOASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO AMAZONAS/DIVULGAÇÃO

atualizado 14/01/2019 19:15

Franklimberg Ribeiro de Freitas deve voltar a ser presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai). A escolha foi feita por Damares Alves, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, pasta à qual a Funai agora está vinculada. O general comandou o órgão até abril de 2018, quando foi demitido pelo então presidente Michel Temer (MDB), após pressão da bancada ruralista do Congresso Nacional.

À época, cerca de 40 deputados e senadores teriam assinado um documento, apresentado a Temer pelo deputado ruralista Alceu Moreira (MDB-RS), pedindo a saída de Freitas. O argumento era que ele não estava colaborando com o setor.

A indicação de Freitas foi confirmada por funcionários do alto escalão da Funai, sob a condição de anonimato. O martelo já teria sido batido, mas o governo de Jair Bolsonaro (PSL) espera a publicação do nome de Franklimberg Ribeiro de Freitas no no Diário Oficial da União (DOU) para se pronunciar.

O retorno do ex-presidente foi comemorado pelos funcionários da Funai. Os servidores enxergam no general um homem mais ligado aos indígenas que o então presidente Wallace Barros.

Últimas notícias