Furar teto de gastos pode levar Bolsonaro a impeachment, afirma Guedes

Presidente da República tem sofrido pressão para burlar a regra devido à crise provocada pelo novo coronavírus

atualizado 12/08/2020 8:50

Ministro da Economia, Paulo GuedesIgo Estrela/Metrópoles

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que, se o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ouvir “conselheiros” para furar o testo de gastos do governo, será um caminho em direção ao impeachment.

O teto de gastos é um mecanismo de controle dos gastos do governo federal incluído na Constituição Federal em 2016. O montante é calculado com base no orçamento do ano anterior mais a correção da inflação.

“Os conselheiros do presidente que estão sugerindo pular a cerca e furar o teto [de gastos] vão levar o presidente para uma zona de incerteza, uma zona sombria. Uma zona de impeachment de responsabilidade fiscal. E o presidente sabe disso e tem nos apoiado”, afirmou Guedes após reunião com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), nessa terça-feira (11/8).

O presidente tem sido pressionado por alguns setores para driblar a regra devido à crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. A ideia seria aumentar os gastos públicos para alavancar a economia brasileira.

Guedes afirmou, no entanto, que a pasta comandada por ele não apoia essa medida. “Não haverá nenhum apoio do Ministério da Economia a ministros fura-teto. Se tiver ministro fura-teto, eu vou brigar”, disse, sem citar quais seriam esses ministros.

Últimas notícias