Ford: concessionárias notificam montadora, rejeitam acordo e cobram bilhões

Dos atuais 283 distribuidores, a estimativa é de que a montadora de veículos mantenha entre 120 e 130

atualizado 22/01/2021 23:07

carrosIgo Estrela/Metrópoles

A Ford foi notificada de forma extrajudicialmente por sua rede de concessionárias. A ação acontece dez dias após a empresa anunciar o fim da fabricação de carros no Brasil. O acordo inicial de indenização proposto pela marca foi negado pela Associação Brasileira dos Distribuidores Ford (Abradif). As informações são do UOL.

A Abridif ainda informa que a rede atual, com 283 concessionários, tem valor estimado de R$ 1,5 bilhão. E os concessionários pretendem  receber um valor superior a esse como indenização pela rescisão.

A exigência que o ressarcimento siga moldes previstos em lei, como a recompra de todo ferramental e também do estoque de veículos zero-km e gastos com reformas, aluguéis, material de PDV, treinamentos e propaganda, entre outros , itens que ficaram fora da primeira proposta apresentada pela Ford.

Ainda é exigido que a indenização de 24 meses de faturamento seja contado em período anterior ao da pandemia do novo coronavírus. Outro ponto abordado é sobre as vendas diretas: a Ford não quer incluir tais números na conta.

Número de revendas

A estimativa é que dentre os atuais 283, a montadora mantenha entre 120 e 130. Esse é o número de revendas que a marca pretende trabalhar em sua nova fase como importadora de veículos.

Um distribuidor ressalta que quem restar terá um faturamento de cerca de 20% do que tinha até agora, ao trabalhar apenas com produtos importados, com preço elevado. A rede também teme que em dois anos a Ford encerre até as operações como importador do Brasil.

Isso afetaria concessionárias que mantiverem as lojas e que, por isso, receberiam indenização 80% menor o que receberia agora. Por isso, a Abradif exige que mesmo as revendas que permanecerem abertas tenham um encerramento de contrato e a criação de um novo, já com a “Ford Importadora”.

A fonte consultada pelo UOL afirma ainda que os US$ 4,2 bilhões, equivalente ao valor de R$ 22 bilhões, que a Ford tem alocados para pagar as indenizações de todos os envolvidos já estão no Brasil.

0

Últimas notícias