Força Nacional fará combate ao desmatamento até novembro na Amazônia

Grupo atuará em apoio ao Gabinete de Segurança Institucional (GSI), nas ações de fiscalização e de repressão ao desmatamento ilegal

atualizado 13/07/2020 10:52

Arquivo/Agência Brasil

O ministro da Justiça e Segurança Pública, André Luiz Mendonça, prorrogou o uso da Força Nacional de Segurança Pública em ações conjuntas com as Forças Armadas na Amazônia Legal. A intenção é que os agentes combatam incêndios e desmatamento.

A prorrogação foi publicada nesta segunda-feira (13/7) no Diário Oficial da União (DOU). Agora, os grupos ficarão na região da floresta até novembro deste ano.

A Força Nacional de Segurança atua em apoio ao Gabinete de Segurança Institucional (GSI), nas ações de fiscalização, de repressão ao desmatamento ilegal e demais crimes ambientais e de combate aos incêndios florestais.

Segundo a portaria, os agentes serão usados em atividades e serviços imprescindíveis à preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, em caráter episódico e planejado.

“O contingente a ser disponibilizado obedecerá ao planejamento definido pela Diretoria da Força Nacional de Segurança Pública da Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça e Segurança Pública”, escreveu o ministro.

0

Caso a renovação não seja solicitada pelo órgão apoiado, tempestivamente, o efetivo será retirado imediatamente após o vencimento da portaria.

A área desmatada entre janeiro e abril deste ano foi de 1,2 mil quilômetros quadrados (km²), o maior número para o período desde 2016, início da série histórica disponível. Essa área equivale a um quinto da extensão do Distrito Federal. Os dados são do programa Deter-B, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Últimas notícias