Família acusa mulher de matar filha da namorada por não aceitar separação

Corpo de adolescente de 17 anos foi encontrado com sinais de tortura no bairro de Campo Grande, Zona Oeste do Rio de Janeiro

atualizado 14/09/2020 13:04

Arquivo Pessoal

Uma adolescente de 17 anos foi assassinada na manhã de quinta-feira (10/9) em Inhoaíba, em Campo Grande, Zona Oeste do Rio de Janeiro. A família da vítima acusa a namorada da mãe da jovem de ter cometido o crime por não aceitar a separação. Kamilly Alves foi morta dentro de casa, encontrada com sinais de estrangulamento.

A suspeita teria ido com a mãe de Kamilly até o ponto de ônibus na quinta-feira, e pedido dinheiro para poder procurar emprego. Da parada, voltou para casa e cometeu o crime pouco tempo depois.

As informações são do IG.

A menina, que estava prestes a concluir o ensino médio, ajudava a prima Andrielle todos os dias em uma padaria, mas no dia do crime não apareceu. “Ela sempre chegava na padaria por volta das 13h30. Mas, nesse dia, ela não apareceu nem atendeu as ligações. Começamos a ficar preocupados. Quando chegamos à casa dela, já tinha uma viatura da Polícia Militar, e a irmã da namorada da mãe da Kamilly também estava lá. Ela nos contou o que aconteceu” afirma Andrielle.

Apesar de não ter visto o corpo da adolescente, Andrielle conta que a prima foi encontrada pela polícia. Ela estaria amarrada, com sinais de estrangulamento e com marcas do que seria uma pancada na cabeça. Além disso, Andrielle afirma que a suspeita foi até a casa da própria irmã para confessar e teria dito “Matei a Kamilly e o corpo está lá dentro num saco preto”.

“Nós estamos completamente desestabilizados com isso tudo. E cada vez que a gente lê ou vê algo, sofremos ainda mais. Precisamos encontrar essa assassina. O que Kamilly nos contava é que a mãe dela e a namorada estavam brigando muito e que elas já estavam num processo de separação, mas a mulher não aceitava”, explica Andrielle.

Últimas notícias