Ex-segurança de Caiado e executor de Lázaro: “Polícia deve matar mais”

Tenente-coronel Edson Melo fez declaração durante debate em programa de TV com policial rodoviário federal Fabrício Rosa, que o rebateu

atualizado 26/06/2022 13:16

Tenente-coronel da Polícia Militar de Goiás (PMGO) Edson MeloReprodução: instagram

O tenente-coronel da Polícia Militar de Goiás (PMGO) Edson Melo, ex-chefe da segurança do governador Ronaldo Caiado (União Brasil) e pré-candidato a deputado federal pelo Podemos, disse que “a polícia deve matar mais”. Ele ficou conhecido após executar o criminoso Lázaro Barbosa há quase um ano e lançar livro sobre o assunto.

Melo fez a declaração, durante o programa de televisão TBC Debate, ao discutir com o policial rodoviário federal Fabrício Rosa, pré-candidato a deputado estadual pelo PT em Goiás e doutorando em direitos humanos. Este, por sua vez, também é conhecido por criticar o abuso de autoridade e a violência policial contra a população. O debate foi transmitido na quarta-feira (22/6), pela TV Brasil Central.

“Acredito que a polícia deve matar mais. Deve matar mais, no sentido de bandido, né? Porque isso reflete diretamente nos dados que aqui tenho”, afirmou o tenente-coronel. “Tivemos uma redução de homicídios em 21%, de 2018 para 2019, já no início do governo de Ronaldo Caiado”, completou.

Veja vídeo abaixo:

 

 

Ao compartilhar o vídeo em uma rede social, Edson Melo escreveu a seguinte legenda: “Todos são especialistas em segurança pública, até ouvir o primeiro tiro, depois só ficam os policiais”.

Mortes violentas

De acordo com o mais recente Anuário Brasileiro de Segurança Pública, publicado em 2021 com dados referentes ao ano anterior, Goiás é o segundo colocado no índice de letalidade policial quando se adota o critério da proporcionalidade de mortes em relação ao total de civis assassinados durante um ano.

“Em Goiás, no ano de 2020, 30% dos homicídios foram praticados pela polícia, segundo dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública. A média nacional de letalidade policial é de 12% para cada 100. A Organização das Nações Unidades (ONU) vê qualquer dado acima de 10% um índice preocupante”, afirmou Fabrício Rosa.

Ainda de acordo com o documento, produzido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, em 2020, foram assassinadas 6.416 pessoas pela polícia no Brasil. Desse total, 631 foram em Goiás, o que representa 9,83% do total. A população goiana corresponde a 3,4% dos brasileiros.

Livro sobre morte de Lázaro

O tenente-coronel conta no livro Contagem Regressiva a ação da força-tarefa que comandou no que chamou de “a trajetória da caçada a Lázaro Barbosa”, um criminoso que foi perseguido por vinte dias pela polícia por cometer uma chacina no Entorno do Distrito Federal, em junho de 2021.

Como antecipou o Blog do Noblat, do Metrópoles, o autor do livro ataca a imprensa – “que falou merda” – critica os defensores dos direitos humanos – “que nos acusaram de uso de força desproporcional” – e acredita que ele e seu grupo saíram como “heróis”.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias