Ex-deputado e pai do prefeito de Aparecida de Goiânia morre com Covid

Léo Mendanha foi deputado estadual; ele também era muito próximo do ex-prefeito Maguito Vilela, morto por complicações da Covid em janeiro

atualizado 07/04/2021 8:09

Prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (MDB), em chamada de vídeo com o pai, Léo Mendanha, que também está com CovidReprodução/Instagram

Goiânia – O ex-deputado estadual Léo Mendanha (MDB), de 66 anos, morreu na noite de terça-feira (6/4) vítima de complicações da Covid-19. Ele é pai do pai do prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (MDB) e estava internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, desde o último dia 21/3.

O chefe do executivo da cidade da região metropolitana de Goiânia também está internado em função da doença. Mas teste feito nesta terça indicou que ele não está mais com o coronavírus no organismo.

Léo se contaminou em março junto com outros familiares. Em 9 de março, o filho, Gustavo anunciou que entraria em atividades remotas, pois dois de seus filhos testaram positivo para a Covid-19. Ao todo, 10 familiares estavam com a doença (o número depois passou a ser 13). No dia anterior, Sônia Melo Mendanha, de 61 anos, mãe do prefeito, também foi confirmada com a doença.

No primeiro teste feito no ex-deputado, o resultado foi negativo. No entanto, uma tomografia constatou comprometimento de 25% de seu pulmão, além de outros sintomas da Covid. De início, os pais do prefeito ficaram em tratamento domiciliar. Dias depois, no entanto, Léo Mendanha foi hospitalizado. E o quadro se complicou.

Transferência

No dia 20/3, o prefeito informou o agravamento do caso do pai. Ele precisou ser intubado no Hospital Santa Mônica, em Aparecida de Goiânia, para tratamento contra a Covid. Mas não houve a reação desejada pela equipe médica. No dia seguinte, precisou ser transferido às pressas para São Paulo.

“Em relação ao meu pai, que está intubado, a família e a equipe médica decidiram pela transferência, que ocorreu hoje (21/3), para o Hospital Albert Einstein, onde contará com suporte da ECMO [oxigenação por membrana extracorpórea], uma vez que 90% dos pulmões estão comprometidos”, disse Gustavo em uma rede social.

Desde a chegada a São Paulo, a evolução do quadro de saúde de Léo Mendanha não foi positiva o suficiente. O caso dele se assemelha ao do então prefeito eleito de Goiânia, Maguito Vilela (MDB), de quem era muito próximo politicamente e na vida pessoal. Ambos tiveram a doença, agravamento do quadro, foram transferidos para São Paulo e morreram na capital paulista.

0
Pesar

O próprio Gustavo Mendanha informou a morte do pai pelas redes sociais. “É difícil expressar o sentimento que está no meu peito. Perdi não só um pai, perdi não só um amigo, perdi o maior incentivador da minha vida. Meu pai era meu alicerce, era minha base, minha raiz, minha estrutura abaixo da envergadura que me tornei”, disse.

Outro que demonstrou pesar foi o governador Ronaldo Caiado (DEM). “Foi com muita tristeza que recebi a notícia da morte do ex-deputado Léo Mendanha. Gracinha e eu reforçamos nossas orações para que Deus conforte os familiares, representados pelo prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha, e dê forças nesse momento de dor. Contem com a gente. #Luto.”

O ex-prefeito de Goiânia e ex-governador do estado, Iris Rezende (MDB), também lamentou a perda. “É com muito pesar que recebo a notícia da morte do ex-deputado e companheiro de partido Léo Mendanha. Vítima da Covid-19. Ele deixa uma história que é motivo de orgulho. Ao seu filho e meu amigo, Gustavo Mendanha, e a toda a família deixo minha solidariedade e orações. Que Deus esteja como vocês!”.

Daniel Vilela, ex-deputado federal e atual presidente estadual do MDB em Goiás, também usou as redes sociais para externar tristeza. “Goiás perdeu hoje um grande líder e eu perdi um verdadeiro pai que a política me deu: o amado Léo Mendanha, ex-deputado, mais uma vítima da Covid-19. Um dos homens mais íntegros e leais que conheci, que era um grande conselheiro meu”, destacou.

Política

Gustavo Mendanha, reeleito com 95,18% dos votos válidos em 2020 para a Prefeitura de Aparecida de Goiânia, entrou para a política inspirado pelo pai. Natural de Inhumas (GO), Léo Mendanha fez sua carreira política no município vizinho a capital. Foi secretário de obras, finanças e vereador pela cidade, além de ter sido eleito deputado estadual duas vezes (em 1994 e 1998).

Gustavo foi vereador por dois mandatos na cidade e secretário em Aparecida quando Maguito Vilela (MDB) era o titular. A ligação entre Léo Mendanha e Maguito, aliás, vinha da época em que o primeiro era deputado e o segundo era governador e, depois, senador.

Muito próximos de Maguito e do filho Daniel Vilela, Léo e Gustavo Mendanha acompanharam de perto o drama do ex-prefeito na luta contra a Covid-19. Maguito foi diagnosticado ainda durante a campanha eleitoral para a Prefeitura de Goiânia.

Foi internado, conheceu piora do quadro e acabou transferido para o mesmo Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Maguito venceu o primeiro e o segundo turno, mesmo estando internado na capital paulista. Não resistiu às sequelas da Covid-19 e morreu em janeiro de 2021 sem que tivesse tomado posse como prefeito da capital goiana.

Últimas notícias