Estudante de direito é preso por manter sítios com 1 mil plantações de skunk

Os agentes da 24ª DP (Piedade) apontam que cada quilo da droga era vendido a R$ 30 mil, e cada colheita rendia entre 3 kg e 5 kg

atualizado 27/01/2021 9:21

estudante de direito preso no RioDivulgação/PCRJ

O estudante de Direito Felipe Coutinho Vaz, de 31 anos, foi preso na manhã desta quarta-feira (27/1), em flagrante, por tráfico de drogas, acusado de ser o responsável pela plantação de skunk em dois sítios e uma casa nos bairros de Itaipuaçu e Ponta Negra, na cidade de Maricá, na Região Metropolitana do Rio.

Nos endereços, a polícia civil contabilizou mais de 1 mil pés, que rendiam ao acusado R$ 150 mil a cada colheita.

Os agentes da 24ª DP (Piedade) apontam que cada quilo da droga era vendido a R$ 30 mil, e cada colheita rendia entre 3 kg e 5 kg. Os pés de skunk eram protegidos em uma espécie de galpão com estufas e tinham equipamentos de ventilação, de controle de temperatura e iluminação.

Ainda de acordo com os policiais, o criminoso revendia a droga, que é uma derivação da maconha com maior poder alucinógeno, abastecendo a Região Oceânica de Niterói e também na cidade do Rio.

Últimas notícias