Escritor tem conta no Twitter suspensa por comentário contra Bolsonaro

Em junho, João Paulo Cuenca disse que país só será livre quando "Bolsonaro for enforcado nas tripas do último pastor da Igreja Universal"

atualizado 26/11/2020 15:47

Instagram/Reprodução

A Justiça do Rio de Janeiro determinou que a conta do escritor João Paulo Cuenca no Twitter fosse bloqueada devido a publicação com comentário sobre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A medida foi assinada pelo juiz Ralph Machado Manhães Júnior, da região de Campos dos Goytacazes.

A determinação foi feita após Cuenca publicar, em junho, que  “o brasileiro só será livre quando o último Bolsonaro for enforcado nas tripas do último pastor da Igreja Universal”.

O comentário faz referência a um texto de Jean Meslier, escritor católico do século 18, que diz: “o homem só será livre quando o último rei for enforcado nas tripas do último padre”.

Segundo a Justiça, a publicação extrapola o direito de liberdade de expressão e “é ofensiva e incitatória à prática de crime ao incitar claramente a violência contra grande parte da população”. As informações são da Folha de S. Paulo.

Cuenca foi processado por Nailton Luiz dos Santos, pastor da Igreja Universal do Reino de Deus, que pede R$ 10 mil por danos morais.

Até a tarde desta quinta-feira (26/11), o perfil de João Paulo Cuenca no Twitter estava ativo. Ele comentou a decisão da Justiça e a repercussão do assunto na mídia: “Se esses senhores queriam fazer propaganda da minha paráfrase de Meslier, acho que conseguiram”, escreveu.

Últimas notícias