Endividamento das famílias brasileiras já é maior do que na crise de 2014

O número de famílias endividadas chegou a 67,1%, segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic)

atualizado 23/06/2020 15:49

Um levantamento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) apontou que o número de brasileiros com dívidas em cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguro atingiu o percentual mais alto da história no mês de junho, ultrapassando a taxa registrada na crise de 2014.

O número de famílias endividadas chegou a 67,1%, segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), renovando o maior patamar da série, em janeiro de 2010.

Também em junho, o percentual de famílias com dívidas ou contas em atraso chegou a 25,4%, o maior desde dezembro de 2017. Já o total de famílias que permaneceriam inadimplentes atingiu 11,6%.

Para as famílias com renda até 10 salários mínimos, o percentual de endividados cresceu de 67,4% em maio para 68,2% em junho. Já para as que têm renda acima de 10 salários mínimos, esse mesmo percentual caiu de 61,3% em maio para 60,7% em junho.

Tipos de dívida

Em relação aos tipos de dívida, o cartão de crédito, apesar de leve recuo mensal, continua sendo o mais apontado pelos brasileiros como a principal modalidade de endividamento (76,1%). Carnês (17,4%) e financiamento de veículos (11,7%) também permanecem na segunda e terceira posições, respectivamente.

Últimas notícias