Empresário que expôs praticantes de yoga já criticou Lei Maria da Penha

Ricardo Roriz filmou e divulgou imagens de mulheres durante a prática em praia no Rio de Janeiro

atualizado 12/08/2020 9:12

O empresário Ricardo Roriz, investigado por filmar e divulgar imagens que expõem mulheres praticando yoga no Rio de Janeiro, enquanto simula gestos sexuais, já publicou vídeo criticando a Lei Maria da Penha. A publicação não está mais disponível, mas a transcrição das falas foi obtida pelo portal G1.

“Eu descobri por que mulher da gente é um bicho chato pra caralho. Sabe quem é o culpado? É a tal da Maria, Maria da Penha. Se a Maria da Penha não tivesse feito aquela lei. Se tivesse uma lei assim ‘você está casado e está vivendo com uma mulher há mais de três meses, você tem direito de enfiar a porrada se ela te encher o saco’. Toda mulher seria maravilhosa, seria calminha”, disse o empresário no vídeo.

A Lei Maria da Penha foi sancionada em 2006 e criou mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher.

Em depoimento prestado na última segunda-feira (10/8), Roriz disse que “queria ser engraçado” em suas publicações. Com a repercussão negativa da filmagem da advogada Mariana Maduro e a abertura de inquérito da Polícia Civil contra o homem, Roriz fez um pedido de desculpas pelas redes sociais. O empresário tem 300 mil seguidores.

“Uma conversa íntima entre amigos veio a público através de uma publicação infeliz por mim publicada em minha rede social Instagram que conferiu erroneamente um tom genérico, abstrato, grosseiro que não corresponde à minha conduta durante os seis anos de publicações nas referidas redes sociais. Venho externar minha solidariedade a quem se sentiu ofendido ou depreciado pela referida postagem”, escreveu.

Últimas notícias