Em programa de TV, Bolsonaro descarta possibilidade de cirurgia

Presidente está internado no Hospital Vila Nova, em São Paulo, com obstrução intestinal. Apesar de melhora, ainda não há previsão de alta

atualizado 15/07/2021 19:33

Reprodução

São Paulo – O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta quinta-feira (15/7) que está melhor e que a possibilidade de uma cirurgia para reparo de uma obstrução intestinal por enquanto está “afastada”. O diagnóstico foi confirmado pelo médico cirurgião Antônio Luiz Vasconcellos Macedo.

No início desta noite, o chefe do Executivo deu uma entrevista à “TV A Crítica“, da RedeTV!. Bolsonaro está internado no Hospital Vila Nova, em São Paulo.

De acordo com o último boletim médico, divulgado no início da tarde, Bolsonaro está evoluindo “de forma satisfatória clínica e laboratorialmente”. Apesar disso, ainda não há previsão de alta.

O presidente afirmou que o que está passando ainda é resultado do atentado com faca que sofreu em setembro de 2018, durante a campanha eleitoral, em Juiz de Fora (MG).

“Cheguei aqui ontem [quarta] com o indicativo muito forte para cirurgia, tendo em vista [que foi] constatado uma obstrução intestinal. Isso tudo aconteceu porque, dada as quatro facadas que levei, e o corte de uma parte do intestino, e quatro cirurgias, essa obstrução, ela é sempre um risco muito alto. Mas graças a Deus, de ontem para hoje, evoluiu bastante esse quadro. Então, a chance de cirurgia está bastante afastada”, declarou o presidente.

Segundo o Dr. Macedo, Bolsonaro está com uma sonda nasográstrica e fazendo uma dieta líquida. O médico corroborou as falas de Bolsonaro.

“O presidente hoje melhorou. Ele ainda está com uma sonda nasogástrica. Nós estamos estudando a retirada da sonda, porque os barulhos no abdômen são bons, os ruídos são bons”, afirmou o cirurgião.

“Mas a cirurgia, a princípio, está afastada, uma vez que o intestino começou a funcionar e o abdômen está mais flácido e mais funcionante”, prosseguiu Macedo.

Antes de finalizar a entrevista, Bolsonaro foi questionado se havia previsão de alta. Em tom de brincadeira, disse: “Talvez amanhã, se der uma força aí o Macedo me libera amanhã”. O médico não comentou, apenas riu e colocou a mão no ombro do presidente.

Motociata em Manaus e live

Durante a entrevista, o presidente Jair Bolsonaro lamentou que não poderá comparecer à motociata prevista para ocorrer em Manaus (AM), no próximo sábado (17/7).

“Peço desculpa ao pessoal motivo além de minha vontade, vamos deixar para outra data se Deus quiser”, disse.

Por conta da obstrução, o chefe do Executivo cancelou uma transmissão ao vivo que faria às 19h desta quinta.

Desde que deu início à rotina das lives às quintas-feiras, Bolsonaro já realizou 121 transmissões. Em pouco mais de dois anos e meio de governo, esta é a terceira vez que o presidente deixa de realizar o encontro semanal com sua base eleitoral.

A primeira vez que o chefe do Executivo precisou cancelar uma live foi em 24 de outubro de 2019, “por questões logísticas da agenda internacional”. Na data, o presidente estava na China, num fuso de 11 horas à frente do horário de Brasília.

Na segunda ocasião, no início do ano passado, em 30 de janeiro, Bolsonaro teve de cancelar a transmissão ao vivo por motivos de saúde. Na noite daquela quinta-feira, ele deu entrada no Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília, para realizar uma vasectomia. O procedimento é utilizado por homens que não desejam mais ter filhos.

Em 12 de setembro de 2020, apenas quatro dias depois de ter sido submetido a um procedimento de correção de hérnia que surgiu no abdômen, Bolsonaro realizou uma live, apesar das recomendações médicas para repouso.

Com a respiração ofegante e apresentando dificuldades na fala, Bolsonaro conversou com os internautas apenas por três minutos e encerrou a transmissão.

0
Internação

Há duas semanas, em 3 de julho, o presidente Jair Bolsonaro foi submetido a um procedimento para realizar um implante dentário. Desde então, o chefe do Executivo federal tem se queixado de soluços constantes.

Ele chegou a passar o último fim se semana no hospital e na madrugada de quarta-feira (14/7) voltou ao Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília, onde ficou internado até a tarde do mesmo dia.

Na madrugada dessa quarta-feira (14/7), Bolsonaro deu entrada no Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília, com dores abdominais. Na ocasião, ele foi internado e submetido a uma série de exames.

À tarde, a Secretaria de Comunicação da Presidência informou que o chefe do Executivo federal estava com uma obstrução intestinal. Bolsonaro precisou ser transferido para São Paulo para fazer novos exames e avaliar a possibilidade de cirurgias.

O chefe do Executivo chegou ao Hospital Vila Nova Star, na capital paulista, às 19h38 de quarta-feira, após desembarcar no aeroporto de Congonhas, onde segue em observação.

Ainda em Brasília, antes de ser transferido, Bolsonaro agradeceu pelas orações e pelo apoio que tem recebido de autoridades e simpatizantes do governo. O presidente ainda falou em “mais um desafio” e relembrou o atentado com faca.

Últimas notícias