Em Goiás, idosos “ansiosos” chegam às 5h30 em vacinação marcada para 10h 

Drive-thru foi inaugurado em Aparecida de Goiânia e exige comprovante de endereço e de vínculo empregatício para autorizar vacinação

atualizado 04/02/2021 19:06

Campanha de vacinação de Covid-19 em Aparecida de Goiânia (GO)Galtiery Rodrigues/Metrópoles

Aparecida de Goiânia – O sol nem tinha surgido no horizonte ainda, mas idosos ansiosos pela vacinação contra a Covid-19 já estavam na fila garantindo a vaga, em Aparecida de Goiânia (GO), na região metropolitana da capital goiana, nesta quinta-feira (4/2). Os primeiros começaram a chegar ao pátio da Cidade Administrativa, região central da cidade, onde foi montada uma estrutura de drive-thru, às 5h30, quando o início da vacinação estava agendado para as 10h.

Todos de carro, levados por filhos, genros e até motoristas de aplicativo, ficaram aguardando pela vez de receber a primeira dose da vacina Oxford/AztraZeneca.

A partir desta quinta, o drive-thru montado pela prefeitura da cidade funcionará como ponto fixo de vacinação. Nesta fase, serão vacinados servidores da parte de assistência em saúde e idosos acima de 85 anos. Os profissionais da linha de frente já foram imunizados.

Segundo a coordenadora de Imunização do município, Renata Cordeiro, ao todo estão disponíveis 5 mil doses e, à medida que novas remessas forem chegando, novos públicos serão contemplados. O drive-thru funcionará de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, sem necessidade de agendamento.

0
Sem fura-filas

Para evitar fura-filas e, até mesmo, que pessoas de outros locais recorram ao município, dada a proximidade com Goiânia, a Prefeitura de Aparecida está exigindo a apresentação, além de documentos de identificação (RG e CPF ou Cartão SUS), do comprovante de vínculo empregatício na cidade, para o caso de profissionais da saúde, e de comprovante de endereço para os idosos.

“A gente precisa garantir que essas doses sejam administradas para esses públicos que já foram estabelecidos pelo Ministério da Saúde e a gente também não tem condição de atender pessoas de outras cidades”, expõe Renata.

Ainda não foi dada uma previsão de quando uma nova remessa de vacinas chegará ao município, mas a coordenadora acredita que até o final da aplicação das doses disponíveis isso já terá sido solucionado.

A quantidade de exigências em Aparecida de Goiânia se explica pelas denúncias de pessoas furando a fila da vacina. Casos desse tipo já foram denunciados em vários estados e, inclusive, em Goiás. No estado, um secretário de saúde chegou a ser exonerado após colocar a esposa na frente da fila de vacinação.

Além disso, em outra cidade, o próprio prefeito é investigado pelo Ministério Público do Estado de Goiás sob suspeita de ter beneficiado familiares na vacinação.

Alegria

Entre os idosos que compareceram para vacinar, muitos já têm mais de 90 anos. Raimundo Nonato, 92, é maranhense e chegou em Aparecida de Goiânia em 1955. Viu a cidade crescer. Ele teve Covid-19 em agosto do ano passado e conseguiu se recuperar. “Estou muito feliz de, finalmente, receber a vacina. Graças a Deus, estou bem hoje”, disse ele, após ser vacinado por volta das 11h. Ele foi levado por um neto e estava na fila desde 8h30.

Joaquim Coelho Sobrinho, de 91 anos, chegou ao local de carro, com a filha Célia Carvalho, às 9h. “Estou com muita vontade de vacinar. Já tem um ano que eu não saio de casa. A gente já está muito velho e fica doente muito fácil, por isso temos que tomar cuidado”, diz ele.

Para Martinho Miranda de Souza, 85, receber a vacina foi motivo de alegria. “É um prazer, alegria demais”. Ele foi levado de carro pelo genro, o vendedor Fábio de Almeida, 43, que diz ter vivido um ano difícil para manter o isolamento do sogro, longe do risco de contaminação. “Vacinar é uma vitória”, afirma.

Últimas notícias