Em Brasília, voo da Avianca é impedido de decolar por ordem judicial

Arrendadores de aeronaves da companhia conseguiram uma liminar para proibir decolagem. Passageiros foram realocados e enviados a hotéis

atualizado 05/04/2019 16:58

Avianca/Divulgação

Passageiros e tripulantes de um voo da Avianca que seguia do Aeroporto Internacional de Brasília para São Paulo precisaram descer pouco antes de a aeronave deixar o local, na noite dessa quinta-feira (4/4). O piloto foi impedido de decolar por oficiais de Justiça, pois havia uma liminar para o confisco do avião. A empresa está em recuperação judicial.

A medida judicial atendia a pedido de dois arrendadores de aeronaves, credores da companhia aérea. No entanto, na mesma noite, a Avianca conseguiu reverter a liminar, mas a decolagem dependia da chegada de oficiais de Justiça ao local.

O voo com destino a Congonhas, em São Paulo, sairia, inicialmente, às 19h. Porém, a decolagem foi adiada duas vezes – enquanto a tripulação aguardava liberação para levantar voo. A aeronave foi liberada para decolar à 1h18 desta sexta-feira (5). Todos os passageiros que ainda aguardavam em Brasília conseguiram embarcar.

Procurada pela reportagem do Metrópoles, a companhia aérea informou que uma parte dos passageiros conseguiu embarcar em outros voos e o restante foi deslocado para hotéis da região.

Por meio de nota, a companhia aérea comunicou que “tomou as medidas necessárias, que os passageiros impactados estão sendo atendidos e que a empresa segue operando normalmente”.

Últimas notícias