Tarcísio pede cassação de registro de Rodrigo Garcia ao TRE-SP

Ex-ministro do governo Bolsonaro alega que atual gestão aumentou repasses a prefeitos para obter apoio político

atualizado 26/09/2022 22:57

tarcísio de freitas Fábio Vieira/Metrópoles

A equipe da campanha do candidato ao governo de São Paulo Tarcísio de Freitas (Republicanos) solicitou, nesta segunda-feira (26/9), que o registro de candidatura do atual governador do estado, Rodrigo Garcia (PSDB), seja cassado.

Candidato a vice na chapa do tucano, o deputado federal Geninho Zuliani (União Brasil) também é alvo da ação. Tarcísio acusa Rodrigo de abuso de poder econômico e político pelo repasse de verbas a prefeitos em troca de apoio no pleito deste ano.

Entre 1º de abril, quando o atual governador tomou posse, e 1º de julho os repasses voluntários a municípios paulistas chegaram a R$ 554,7 milhões. De acordo com a campanha do aliado de Jair Bolsonaro (PL), o valor é mais que o dobro que o repassado nos primeiros três meses do ano (R$ 251,3 milhões de reais).

“Nota-se que esse repasse trimestral em dobro foi realizado porque no trimestre seguinte (a partir de 2 julho) seria proibido qualquer repasse às prefeituras, o que, por si só já sinaliza parte do cumprimento do ‘acordo de cooptação’ com os prefeitos para o efetivo empenho na reeleição do investigado. Aliás, esses números informados acima foram de valores efetivamente liberados, ou seja, que de fato entraram nos caixas das prefeituras”, aponta a ação.

Além da cassação dos registros de Rodrigo e Geninho, pede-se também que os dois sejam considerados inelegíveis pelo período de oito anos.

Nova pesquisa Quaest divulgada nesta segunda-feira (26/9) mostra os dois candidatos tecnicamente empatados no segundo lugar. O ex-ministro da Infraestrutura aparece com 21% e o atual governador com 20%. O petista Fernando Haddad lidera a disputa com 31% das intenções de voto.

Mais lidas
Últimas notícias