Lula sobre suposto pedido de Bolsonaro a Biden: “É se humilhar demais”

Após interlocutores afirmarem que o presidente brasileiro pediu ajuda ao chefe dos EUA para ganhar as eleições, ele negou a versão

atualizado 14/06/2022 14:27

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSB, se encontram com representantes de movimentos popularesFábio Vieira/Metrópoles

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, comentou, nesta terça-feira (14/6), a notícia de que o presidente Jair Bolsonaro (PL) pediu ajuda do presidente norte-americano Joe Biden para vencer as eleições no Brasil. A informação foi divulgada pela agência Bloomberg e refere-se ao encontro privado do atual presidente brasileiro com o mandatário dos Estados Unidos, durante a Cúpula das Américas, realizada na semana passada, em Los Ângeles, na California.

Presidente, governador e senador: veja quem são os pré-candidatos nas Eleições 2022

“Quando ele (Bolsonaro) fala que a conversa (com Biden) foi extraordinária, que foi fantástica, diga o que conversou. Diga qual foi o acordo”, desafiou Lula em entrevista à rádio Vitoriosa FM de Uberlândia (MG).

“Ele foi lá, segundo a imprensa americana, pedir para o Biden não deixar eu ganhar as eleições? Será que isso é verdade? Eu vi ontem na imprensa americana que o presidente Bolsonaro foi aos Estados Unidos pedir para o Biden ajudar ele a nao deixar eu ganhar as eleições. Por Deus do céu, eu não acredito que seja verdade. Porque isso é se humilhar demais”, criticou o petista.

Após a repercussão da notícia, Bolsonaro negou que tenha feito o pedido, mas não revelou o conteúdo de sua conversa com o presidente norte-americano.

Lula ainda criticou as sucessivas motociatas realizadas pelo atual presidente dizendo que esses eventos servem para que Bolsonaro não precise conversar com o povo.

“O Bolsonaro precisa criar coragem para conversar com o povo. Parar de fazer motociata, bicicletada, cavalada, aviãozada. Ele só sabe fazer essas coisas que envolve os milicianos dele. Vai para a rua conversar com o povo, vai explicar a fome, vai explicar o preço da gasolina, vai explicar o preço do gás e do óleo diesel. Vai conversar com as pessoas”, aconselhou o petista, que lidera as pesquisas de intenção de voto.

“Ao invés de fazer motociata em Los Angeles, em Miami e passeata de jet ski, sabe o que eu vou fazer? Vou andar esse país, conversar com o nosso povo, sentir a alma do nosso povo para governar com o povo.”

“Pecado”

Lula também tentou desconstruir a imagem de Bolsonaro perante o eleitor evangélico, segmento no qual o atual presidente tem mais votos que o petista. Para Lula, Bolsonaro comete pecado ao usar o nome de Deus para fazer campanha e que, na verdade, “não acredita em Deus”.

Quem vai tirar o Bolsonaro é povo brasileiro que está cansado de tanta mentira e de tanta sordidez e injúria e de tanto pecado.

“É um presidente que utiliza o nome de Deus em vão e você olha dos olhos dele e ele não acredita em Deus. Ele fala em Deus por conta das eleições. Não tem pecado maior que utilizar o nome de Deus em vão”.

“O cidadão que tem um comportamento leviano como ele tem, que ofende a suprema corte, que ofende a Câmara, que ofende o Senado, os sindicatos, as mulheres, negros, estudantes, que não quer fazer universidade, que loucura é essa? O que esse cara pensa que está fazendo nesse país? O que ele pensa que representa?”, questionou Lula durante a entrevista.

Negativo para Covid

Na entrevista, Lula confirmou que vai a Uberlândia nesta quarta-feira (15/6) e que testou negativo para a Covid. “Estava com dúvida se poderia ir a Uberlândia por causa da Covid-19. Hoje fui comunicado pelo médico que fiz exame e fui negativado. Amanhã estarei em Minas 100% livre da Covid. Mas ainda se tiver aglomeração eu vou utilizar máscara para evitar abuso com uma doença que a gente ainda não conseguiu debelar”, disse, de voz rouca.

Na principal cidade do Triângulo mineiro, o ex-presidente participará de ato ao lado de seu vice, o ex-governador Geraldo Alckmin (PSB), e do ex-prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PSD), pré-candidato ao Governo de Minas Gerais que conta com o apoio do petista.

O petista havia interrompido as atividades presenciais da sua pré-campanha no último dia 5 de junho, quando informou que ele e a sua mulher, a socióloga Rosângela da Silva, a Janja, foram diagnostivados com a doença.

Após as aividades em Uberlândia, Lula seguirá para estados do Nordeste, onde tem compromissos políticos em chapas nas quais o PT está coligado com o MDB. O petista serguirá na quinta para Natal (Rio Grande do Norte), Maceió (Alagoas) e Aracaju (Sergipe).

Lula voltou a culpar Bolsonaro pelo aumento do preço dos combustíveis e reclamou que o atual presidente tenta jogar a culpa para os atuais governadores.

“O governo não tem coragem de assumir que é ele o responsável pelo aumento do preço. O seu Bolsonaro fica jogando a culpa em governador, quando ele deveria saber que a culpa é da covardia dele de não ter coragem de assumir o papel do presidente.”

0

Mais lidas
Últimas notícias