Guerra por votos recomeça na TV com propagandas eleitorais de Bolsonaro e Lula

Os dois candidatos à Presidência veiculam suas propagandas eleitorais a partir desta sexta (7/10) no rádio e na TV

atualizado 07/10/2022 7:20

Arte MetrópolesFotos: Foto: Fábio Vieira/Metrópoles

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) abrirá o dia do retorno das propagandas eleitorais gratuitas no rádio e na televisão. As inserções para o segundo turno das eleições começam a ser veiculadas nesta sexta-feira (7/10), às 7h nas rádios, e às 13h na TV. Lula e Jair Messias Bolsonaro (PL) são os dois postulantes ao Planalto nesta etapa do pleito. Lula, no entanto, será o primeiro a aparecer nesta sexta.

De acordo com a Resolução TSE nº 23.610/2019, o novo horário eleitoral terá início com o candidato que obteve maior votação no primeiro turno. A programação segue a alternância diária da ordem, a cada programa ou inserção.

Lula teve 48,43% dos votos válidos, contra 43,20% de Bolsonaro. Por isso, o petista vai inaugurar a propaganda eleitoral gratuita nesta sexta. No sábado (6/10), portanto, o programa de Bolsonaro será o responsável pela abertura do horário destinado aos políticos.

As emissoras reservarão 10 minutos diários, de segunda a sábado, para propagandas eleitorais, além de 25 minutos para cada cargo em disputa e veiculação das inserções de 30 e 60 segundos ao longo da programação.

No segundo turno, o tempo é dividido igualmente entre os candidatos. Conforme prevê a Resolução TSE nº 23.610/2019, a propaganda para presidente da República será veiculada na televisão, de segunda a sábado, das 13h às 13h10 e das 20h30 às 20h40. No rádio, vai ao ar das 7h às 7h10 e das 12h às 12h10.

Conteúdo

Até a noite desta quinta (6/10), o teor das peças era mantido em sigilo. A aposta era de que os programas explorariam as alianças feitas para a disputa em segundo turno.

No caso de Lula, fontes disseram à reportagem que haverá bastante foco nos apoios que o petista ganhou após o segundo turno, principalmente daqueles que já fizeram oposição a Lula e agora integram a sua “frente ampla”.

São os casos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), da candidata que ficou em terceiro lugar no primeiro turno na corrida ao Planalto, Simone Tebet (MDB), e dos economistas que criaram o Plano Real nos anos 1990.

Já Bolsonaro fez alianças com 11 governadores na tentativa de ser reeleito no próximo dia 30 de outubro. Os chefes dos Executivos que declararam apoio a Bolsonaro foram: Gladson Cameli (PP), do Acre; Ronaldo Caiado (União), de Goiás; Mauro Mendes (União), de Mato Grosso; Antonio Denarium (PP), de Roraima; Wilson Lima (União), do Amazonas; coronel Marcos Rocha (União), de Rondônia; Ibaneis Rocha (MDB), do Distrito Federal; Romeu Zema (Novo), de Minas Gerais; Cláudio Castro (PL), do Rio de Janeiro; Ratinho Junior (PSD), do Paraná; e Rodrigo Garcia (PSDB), de São Paulo.

O atual titular do Palácio do Planalto ainda disse que pretende conversar com o ex-presidente Michel Temer (MDB) nos próximos dias, para articular o apoio do emedebista à sua candidatura.

Pelos estados

Nos 12 estados em que a disputa para governador será definida no segundo turno, os candidatos poderão veicular propaganda das 7h10 às 7h20 e das 12h10 às 12h20 no rádio. Na televisão, o horário eleitoral para governador ocorrerá das 13h10 às 13h20 e das 20h40 às 20h50.

Além disso, ao longo da programação, as emissoras devem reservar, de segunda a domingo, 25 minutos de veiculação das inserções de 30 e 60 segundos para cada cargo em disputa.

Mais lidas
Últimas notícias