Após erros, Ipec mostra Lula líder no Nordeste e Bolsonaro, no Sul

Este é o primeiro levantamento divulgado após críticas sobre a divergência entre o resultado real das urnas e as projeções

atualizado 06/10/2022 8:24

Lula e Bolsonaro em preto e branco e fundo amarelo Arte/Metrópoles

Após polêmicas sobre divergências entre as projeções e os resultados do primeiro turno das eleições, o Ipec (antigo Ibope) divulgou, na quarta-feira (5/10), levantamento com dados sobre o segundo turno. Os números apontam que, assim como no primeiro turno das eleições, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é mais popular entre os eleitores do Nordeste. Por sua vez, Jair Bolsonaro (PL) tem mais eleitores no Sul do país.

De acordo com a pesquisa, Lula tem 69% das intenções de voto para o segundo turno nos estados nordestinos. Bolsonaro tem 26%. Entre os moradores da região, 2% disseram votar em branco ou nulo, e outros 2% não sabem ou não responderam.

No Sul do país, todavia, é o atual mandatário quem lidera a pesquisa, com 54% das intenções de voto. Nessa região, Lula tem 37%. Outros 6% disseram votar em branco ou nulo, e 3% não responderam ou não sabem.

Saiba tudo sobre as Eleições 2022

Este é o primeiro levantamento divulgado após as críticas sobre a divergência entre o resultado real das urnas no primeiro turno e as projeções feitas por diversos institutos de pesquisa na véspera da eleição.

Na pesquisa desta semana, Lula tem 51% das intenções de voto de todo o país. Bolsonaro tem 43%. Brancos e nulos somam 4%. Além disso, 2% dos entrevistados não sabem em quem votar ou não responderam.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
0

Quando considerados apenas os votos válidos, desconsiderando brancos e nulos, Lula fica com 55% das intenções de voto, e Bolsonaro, 45%.

O Ipec ouviu 2 mil pessoas entre segunda (3/10) e quarta-feira (5/10), em 129 municípios brasileiros. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, com índice de confiança de 95%. O estudo tem registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob protocolo BR-02736/2022.

Mais lidas
Últimas notícias