“Pesquisas erram”, diz Crivella sobre favoritismo de Eduardo Paes no Rio

"Ninguém casa pensando em divórcio, não tem planos para divórcio", disse o candidato à reeleição, optando por não comentar possível derrota

atualizado 29/11/2020 13:38

Marcelo Crivella em entrevista para Rachel SheherazadeRAFAELA FELICCIANO/ Metrópoles

O prefeito e candidato à reeleição no Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), afirmou neste domingo (29/11) que “as pesquisas erram” sobre o favoritismo do rival, Eduardo Paes (DEM). O democrata tem uma larga vantagem na disputa, segundo as pesquisas.

A pesquisa Datafolha mostra Crivella com 32% de votos válidos, excluídos brancos, nulos e indecisos, ante 68% de Paes.

“Lembrem que as pesquisas do primeiro turno sempre davam Crivella com 10%, 12%. No final, tínhamos 20%.” Em pesquisa Datafolha divulgada no sábado anterior ao primeiro turno, o atual líder do Executivo carioca tinha 18% dos votos válidos.

“Ninguém casa pensando em divórcio, não tem planos para divórcio”, afirmou Crivella, ao se negar a comentar um eventual resultado desfavorável. Ele disse que, como sempre, passaria na igreja após votar. Ele é bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus e sobrinho do fundador, o bispo Edir Macedo.

O prefeito descreveu como “eletrizante” uma carreata que fez na véspera em Santa Cruz, um dos bairros mais populosos do Rio, na zona oeste. Lá, ouvia-se de veículos de sua campanha o bordão: “Para o Rio não virar Venezuela, vote Crivella”.

Últimas notícias