Fiscal de seção é flagrada bebendo chope em frente a zona eleitoral de Luziânia

Consumo de bebidas alcoólicas é proibido durante as eleições. Bar fica em frente a uma das zonas eleitorais da cidade do Entorno

atualizado 15/11/2020 16:58

Flagrante de venda de bebida alcoólica em frente ao local de votação na cidade de LuziâniaGustavo Moreno/Especial Metrópoles

Por volta das 15h30, faltando menos de duas horas para acabar o pleito, o Metrópoles flagrou uma mulher, com um crachá de fiscal de seção nas costas, tomando um chope em um bar, em frente ao Colégio Estadual Professor Antônio Valdir Roriz, no centro de Luziânia (GO), Entorno da capital federal. A escola é usada como local de votação.

Ao perceber a presença da reportagem, a mulher ficou incomodada e não quis conversar com os jornalistas. Ela estava ao lado de outra, com o mesmo crachá, mas que, aparentemente, não bebia. O consumo de bebidas alcoólicas é proibido em dia de eleições.

Veja a sequência de fotos:
0

Um carro da Polícia Militar de Goiás (PMGO) passou pela região neste momento, mas a equipe nada fez.

Movimentação tranquila

Segundo um fiscal que atuou no local todo o dia, a votação foi tranquila ao longo do domingo, com poucas filas e sem aglomeração.

A maioria dos eleitores respeitou o distanciamento mínimo nas filas, o uso da máscara de proteção facial e não houve registros de boca de urna nas proximidades da escola.

A reportagem também registrou papéis jogados nas ruas, mas não muitos santinhos, se comparado à sujeira encontrada em outras localidades do Entorno.

Juliana Rocha, 27 anos, é veterinária. Ela disse que preferiu votar perto do término das eleições para evitar filas.

“Ainda estou preocupada com a Covid-19, mas não queria deixar de vir. Cheguei e, em menos de cinco minutos, resolvi tudo. Foi bem tranquilo. Eu esperava que fosse mais calmo no período da tarde”, afirmou a jovem. Juliana levou a própria caneta para assinar o caderno de votação, além de álcool em gel.

O motoclista Silvio Mariano Arantes, 34, trabalha com serviço de entrega de lanches e chegou ao local para votar às 15h25. “Sou o próximo. Não vou precisar esperar praticamente nada. Achei tudo muito organizado. Estava pensando em justificar ausência, para não ter que perder a diária de trabalho, mas me avisaram que estava tranquilo, e eu quis vir. Acho importante o voto para que possamos cobrar melhorias no futuro”, afirmou.

Últimas notícias