Dos 36 candidatos que disputarão o 2º turno nas capitais, 16 são negros

A quantidade de prefeitos negros eleitos em todo o Brasil aumentou 5,6% entre 2016 e 2020

atualizado 16/11/2020 17:03

José Cruz/Agência Brasil

Dos 117 candidatos que se declaram negros (pretos ou pardos) nas eleições às prefeituras das 25 capitais do Brasil, apenas 16 chegaram ao segundo turno, que será definido no próximo dia 29 de novembro. Entre eles, somente Nilvan Ferreira (MDB), de João Pessoa, disse ser preto; o restante se classificou como pardo.

Entre os sete que já venceram no pleito em primeiro turno, a realidade não é muito diferente. Somente o novo prefeito de Salvador (BA), Bruno Reis (DEM), disse ser pardo, enquanto os outros sete se afirmaram brancos.

Dos três indígenas que se candidataram à prefeitura das capitais, Minoru Kinpara (PSDB), em Rio Branco (AC); Vinícius Miguel (Cidadania), em Porto Velho (RO); e Capitão Assumção (Patriota), em Vitória (ES), nenhum avançou para o próximo turno.

O levantamento foi feito pelo (M)Dados, núcleo de jornalismo de dados do Metrópoles, com base nos balanços divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Fora das capitais

A quantidade de prefeitos negros eleitos aumentou 5,6% entre 2016 e 2020, mesmo sem definição total em todos os municípios. Nas eleições realizadas há quatro anos foram 1.600 mandatários municipais que se autodeclaravam pretos ou pardos. Desta vez, são 1.689.

O número final ainda pode crescer por conta das cidades com segundo turno. Além disso, até às 14h desta segunda-feira (16/11), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tinha informações dos prefeitos eleitos em 5359 municípios. Excluindo os que têm segundo turno, ainda faltam informações para 245 cidades.

Dados eleição

Pela primeira vez da história, uma maioria autodeclarada negra (preta ou parda) em relação aos que se identificam como brancos disputaram os cargos eletivos em 2020.

O crescimento tem relação com o estabelecimento das cotas de distribuição da verba de campanha e da propaganda eleitoral, decisões tomadas pelos tribunais superiores neste ano.

Em 2016, foram 194.402 pardos (39,12%) e 42.916 pretos (8,64%) o que representou 47,76% dos inscritos. Mesmo somados, pretos e pardos não atingiram o contingente de 255.689 (51,45%) candidatos brancos.

As eleições de 2020 apresentam 215.030 (39,42%) autodeclarados pardos e 57.013 (10,45%) pretos. Somados, representam 49,87% do total. Como o registro de candidatos autodeclarados brancos é de 260.574 (47,77%), foi a primeira vez que a eleição tem mais negros que brancos.

Últimas notícias