Luciano Huck detona Bolsonaro: “Ideias retrógradas e preconceituosas”

O empresário e apresentador da TV Globo não poupou críticas ao candidato do PSL em artigo para o jornal Folha de S.Paulo

AG NEWSAG NEWS

atualizado 17/10/2018 8:16

O apresentador da TV Globo e empresário Luciano Huck criticou duramente a postura do candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), em artigo para o jornal Folha de S.Paulo. Nome ventilado para concorrer ao Palácio do Planalto, Huck escreveu que o militar da reserva se tornou conhecido por espalhar “ideias retrógradas, sectárias, preconceituosas e belicistas”.

Segundo o empresário, as ideias do presidenciável do PSL são “tudo aquilo que não precisamos na atual conjuntura”. “Um postulante ao cargo máximo da República definitivamente não pode pensar e muito menos dizer o que ele já disse ao longo dos seus 27 anos de vida pública”, opinou no texto publicado no sábado (15/10).

Na coluna, Huck comemora o desempenho do movimento RenovaBR nas Eleições 2018, com 16 parlamentares eleitos e 4,5 milhões de votos. “Temos certeza de que esse foi o primeiro de muitos ciclos necessários para uma renovação completa de fato”, disse o empresário, um dos idealizadores e financiadores do RenovaBR.

Temo, sim, que o discurso de ódio ou de desprezo pelo diferente na boca de um mandatário eleito pela maioria legitime violência e discriminação

Luciano Huck sobre Jair Bolsonaro

O apresentador também criticou o PT ao afirmar não compactuar com o modo de pensar e operar do partido. “Não há outra missão mais relevante do que atacar o enorme abismo social que criamos no país. Mas essa pauta não é nem pode ser monopólio do PT”, escreveu.

No texto, Huck propõe o Brasil enfrentar os problemas de maneira “construtiva e serena”, sugerindo aos parlamentares rever “posições equivocadas do passado”.

Em 2017, Luciano Huck surgiu como possibilidade de nome para ocupar o Palácio do Planalto. Mesmo bem avaliado por institutos, ele desistiu de concorrer ao posto em novembro do ano passado, reafirmando a posição de continuar contribuindo “para melhorar o país”.

Últimas notícias