João Goulart Filho: “Sabemos como ditaduras começam, voto em Haddad”

Ao citar o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, presidenciável do PPL destaca que o capitão reformado pode levar o país a uma nova ditadura

atualizado 09/10/2018 17:59

Reprodução / Youtube

O candidato à Presidência da República João Goulart Filho (PPL) decidiu nesta terça-feira (9/10) apoiar Fernando Haddad (PT) no segundo turno. Em nota oficial, o presidenciável afirma que não poderia se omitir “diante do grande risco que corre a nossa nação neste segundo turno das eleições nacionais”.

Ao citar o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, Goulart destaca que o capitão reformado do Exército pode levar o país a uma nova ditadura. “Contra a ditadura, a opressão, ao ódio às minorias, ao homofobismo, ao direito dos povos autóctones, ao racismo e tantas outras propostas fascistas do candidato Bolsonaro, um herdeiro golpista disfarçado de candidato dos militares, venho me colocar ao lado das forças populares, da união nacional pelos direitos humanos”, afirma.

Segundo o candidato, seu partido discorda de muitos pontos programa do PT, mas declara apoio ao presidenciável petista por temer o fim da democracia. “Sabemos como as ditaduras começam, nunca sabemos quando terminam. Estamos prontos para caminhar juntos. Por isso, apesar de nossas diferenças, eu voto em Haddad para derrotar Bolsonaro”, finaliza o líder do PPL.

Filho do ex-presidente João Goulart, o Jango, derrubado pelo golpe militar de 1964, ele concorreu pela primeira vez ao comando do país. O candidato do PPL participou em 1979 da fundação do PDT, legenda nascida sob a liderança de seu tio Leonel Brizola, casado com Neuza Goulart, irmã de Jango. Saiu do partido em 2017, depois que o atual governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), decidiu não construir um memorial em homenagem ao pai, deposto pelos militares. Na época, o PDT integrava o governo do DF.

Últimas notícias