*
 

A pré-candidata da Rede Sustentabilidade, Marina Silva, afirmou, em entrevista ao Metrópoles, na manhã desta quinta-feira (5/7), que não irá aceitar que espalhem fake news sobre ela, como aconteceu durante as eleições de 2014. “Não vamos deixar que tragam de volta as notícias faltas sobre mim, como João Santana e Dilma fizeram. Foram eles que inauguraram as fake news no Brasil, não o Trump”, declarou.

A presidenciável explicou ainda que vem lutando na Justiça para retirar do ar qualquer publicação falsa que a difame ou deprecie seu partido. “Você prova que a notícia é falsa no tribunal, com documentos. A boa mídia sabe muito bem o que é fake news e o que é censura. Espalhar uma mentira que se sabe claramente que é uma mentira é crime. Nós vamos agir sim na Justiça, em respeito a boa informação e aos direitos da população”, completou. Michael Melo/Metrópoles

Marina garantiu ainda que sua campanha tem o compromisso de não divulgar fake news. “Não vamos lançar mão desses mecanismos criminosos. Queremos fazer uma campanha limpa”, afirmou. De acordo com a pré candidata, “quem valoriza sua ética e sua trajetória de vida, quem respeita o cidadão, não quer que uma notícia falsa continue circulando”.

Questionada como conseguirá aumentar suas intenções de voto, já que não vem aparecendo muito ultimante, desde que terminou seu último mandato, Marina Silva brincou com a questão das notícias falsas. “Essa história de que estou sumida do cenário político é uma fake news dos meus adversários, eu estou sumida apenas das páginas policiais”, garantiu.