Centrão fecha acordo com Alckmin. Mas não formaliza

Em contrapartida, os partidos cobraram a indicação do empresário Josué Gomes (PR), filho de José de Alencar, para a vice

atualizado 19/07/2018 20:57

Igo Estrela/ Especial para o Metrópoles

Líderes de partidos do Centrão fecharam, nesta quinta-feira (19/7), acordo para apoiar o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) na eleição presidencial. Depois de se reunirem com o tucano em São Paulo, eles indicaram ao pré-candidato do PSDB que a aliança será formalizada até a próxima semana, pós conversas internas nas legendas para convencer defensores de uma coligação com o ex-ministro e ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT).

As cúpulas de DEM, PP, PR, PRB e Solidariedade bateram o martelo, mas precisam aprovar no voto a aliança com Alckmin. Isso correrá nas respectivas convenções nacionais de cada partido – o prazo para realização vai até 5 de agosto.

Em contrapartida, o Centrão cobrou a indicação de Josué Gomes (PR), empresário dono da Coteminas, como candidato a vice-presidente. Ontem, Alckmin disse ter “grande estima” pelo empresário e citou que era muito próximo do pai dele, José Alencar (morto em 2011), que foi vice-presidente no governo Lula (PT).

Últimas notícias