Maioria dos professores relata tristeza e desânimo com ensino na pandemia

Resultado é de pesquisa inédita realizada pela Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed) entre agosto e setembro deste ano

atualizado 09/10/2020 15:04

Professores entrevistados em pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed) demonstraram preocupação com a saúde mental durante a pandemia do novo coronavírus. 

Conforme o estudo, mais da metade dos docentes (52,52% do total) afirmou estar “se sentindo abatido abatido, triste e desanimado” com a atual situação do ensino no país. Outros 8,5% apresentaram “muito desânimo” com a educação ministrada virtualmente.

Do total, 95% dos entrevistados lecionam em escolas públicas da rede estadual, sendo 70,83% professores de ensino médio. Outros 25,64% dão aula para alunos do ensino fundamental.

É grande a preocupação dos educadores com a situação da crise sanitária do país. Cerca de 91% disseram estar “muito preocupados” com a pandemia. A maior parcela dos entrevistados (68,71%) disse que só volta quando houver uma vacina para o novo coronavírus.

O levantamento é resultado de mais de 5,5 mil questionários respondidos por estudantes, professores e responsáveis entre 24 de agosto e 15 de setembro deste ano. O objetivo da pesquisa é traçar um panorama sobre os impactos da crise sanitária no ensino do país.

A pesquisa também avaliou a opinião dos estudantes sobre a qualidade do ensino remoto. A educação a distância foi reprovada por 72,61% dos alunos que responderam aos questionários. 

0

Mais lidas
Últimas notícias