*
 

Uma estudante da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) pede ajuda pela internet para conseguir custear os estudos no Institut d’Études Politiques Science Po Rennes, na França. Thâmara Ferreira tem 21 anos, mora na Zona Norte do Rio de Janeiro, mas nasceu no interior no Maranhão, em Cedral, cidade com 10 mil habitantes.

No fim de novembro, ela começou a viver o sonho de estudar um ano em uma das melhores universidades de estudos políticos do mundo, mas o fator financeiro ainda é um impeditivo.

Thâmara é estudante do curso de Relações Internacionais na UERJ e passou por uma seleção. Filha de empregada doméstica, ela sempre estudou em escolas públicas. A perseverança a fez a passar em cinco universidades públicas. Para a seleção francesa, ela estudou sozinha, aprendeu francês de maneira autônoma até conseguir pagar um cursinho.

Foi aceita para estudar no instituto por um ano, mas precisa pagar passagem, emitir visto, arcar com taxas francesas obrigatórias e o custo de vida nos primeiros meses, antes de conseguir um emprego na França.

Para isso, pediu ajuda por meio da Vakinha Virtual. Ela precisa de R$ 22 mil e deixou claro no pedido: “Qualquer ajuda é bem-vinda. Esta oportunidade é única para minha formação acadêmica e pessoal”, disse no pedido. Ela ainda gravou um vídeo de 2’12’’ dizendo que a educação sempre foi e é sua principal arma para mudar de vida.

Durante a gravação, ela questiona: “Quantos estudantes negros você conhece que foram selecionados em universidades concorridíssimas como essa? Você pode doar a partir de R$ 25. Me ajude a sonhar”, pede. Assista o vídeo:

 

A campanha teve o reforço de um ex-professor dela, que postou a história no Instagram:

Instagram/Reprodução

História
Na campanha lançada na internet para arrecadação de dinheiro, ela ainda conta um pouco de sua trajetória. “Sempre gostei de estudar. Dos 5 aos 10 anos morei com a minha avó, pois a minha mãe veio para o Rio de Janeiro trabalhar como empregada doméstica. Quando eu tinha 10 anos vim morar em Teresópolis (RJ). Nessa cidade, com mais acesso à educação, durante as aulas de história na escola pública, comecei a sonhar com a universidade”, relatou.

Thâmara ainda prossegue: “Estudei dia e noite, boa parte do tempo sozinha, e fui aprovada para cursar Relações Internacionais na Universidade do Estado do Rio de Janeiro”. Assim, em 2015, com 18 anos, mudou-se para o Rio para morar sozinha. Já na UERJ, participou de diversas atividades a fim de complementar a formação acadêmica.

Fez parte da empresa júnior do curso e trabalhou voluntariamente na Cruz Vermelha em um programa Comitê Internacional da Cruz Vermelha de restabelecimento de laços familiares de pessoas que perderam contato com a família por conta de desastres e guerras.

“Com o dinheiro da bolsa, eu que vinha estudando francês de forma autônoma, pude começar a pagar um curso do idioma e dessa forma nasceu meu sonho de estudar no exterior”, disse.

Para realizar o sonho, ela pede ajuda. Os interessados devem acessar o site da Vakinha.com.