Éder Meneghine diz que ex-noivo só quer aparecer e virar subcelebridade

Arquiteto que trocou de noivo 24 horas antes do casamento diz que sua história não é uma farsa, é de amor ao próximo e que ex quer palanque

atualizado 14/09/2021 17:58

Diana Brizzi / I9 Foto e Vídeo

São Paulo – Por que uma pessoa que termina um noivado 24 horas antes de um casamento decide trocar de noivo e manter a cerimônia? O arquiteto Eder Meneghine, de 60 anos, que tomou esta decisão inusitada na semana passada explica: 

“Casei com o cara porque eu não podia desmanchar uma festa do porte da festa que eu tinha feito, com amigos, com presentes”, diz. 

Em entrevista ao Metrópoles, ele dá a sua versão da história: 

“Não fiz nada proposital na minha vida. Então, eu procurei uma pessoa que tem muito a ver com a minha vida, que tem esclerose múltipla, que tem uma série de problemas e que, na verdade, é uma pessoa desfavorecida, mesmo tendo convivido comigo 16 anos”.

Segundo ele, o casamento foi uma oportunidade a um homem que merece. Afinal, com a união de bens, o esposo passa a ter direito ao seu patrimônio. À reportagem, o arquiteto afirmou que tem cerca de 30 mil euros só em obras de arte. 

Éder esclarece ainda outra dúvida gerada nos últimos dias, que é sobre como será a vida a dois. 

“Não que eu vá ficar com ele [o marido], mas vou casar com ele para que ele tenha direito ao seguro saúde, para que ele tenha direito ao INSS, a uma vida saudável.”

Segundo o recém-casado, a história que Dyl Reis, 23 anos, — mais conhecido como o noivo trocado — está espalhando de que o arquiteto estava falindo e o traía é um mentira. 

“Minha história não é uma farsa, é uma história de amor ao próximo. Ele [Dyl] está espalhando isso porque ficou revoltado”, afirma. 

0
Palanque

Para Éder, o ex está querendo “se dar bem” com a história do fim do casamento. “Ele quer ir para A Fazenda, para o Big Brother.”
O arquiteto diz ainda que Dyl fez um PIX da conta que ambos tinham para a sua conta pessoal. E que só viu o dinheiro de volta porque um dos primos de Dyl fez ele devolver. 

Ao Metrópoles no fim de semana, Dyl levantou suspeitas sobre a versão de Éder. “Se ele tem milhões de dólares, por que ele estava implorando por R$ 16 mil, que eu fui obrigado a devolver para ele”, questiona. 

Dyl disse que, além do dinheiro, foi obrigado a devolver um iPhone e uma moto Scooter. O ex-noivo também reivindica o fim do término, disse que acabou porque conseguiu abrir os olhos antes do “sim”

Últimas notícias